Links de Acesso

Aumenta desigualdade no mundo

  • VOA Português

A riqueza acumulada por 1 por cento da população do planeta ultrapassará a dos restantes 99 por cento da população em 2016. A conclusão é de um estudo da organização não-governamental britânica Oxfam.

A riqueza desse 1 por cento da população subiu de 44 por cento do total de recursos mundiais em 2009 para 48 por cento no ano passado. Em 2016, esse patamar pode superar 50 por cento se o ritmo actual de crescimento se mantiver.

O relatório, divulgado às vésperas da edição de 2015 do Fórum Económico Mundial de Davos que começa a 21, sustenta que a "explosão da desigualdade" está a dificultar a luta contra a pobreza global.

"A escala da desigualdade global é chocante", disse a directora executiva da Oxfam Internacional Winnie Byanyima.

"Apesar de o assunto ser tratado de forma cada vez mais frequente na agenda mundial, a lacuna entre os mais ricos e o resto da população continua a crescer a ritmo acelerado”, continuou.

A concentração de riqueza também se observa entre os 99 por cento restantes da população mundial. Essa parcela detém hoje 52 por cento dos recursos mundiais, diz a Oxfan que ressalta que 46 por cento desse total estão nas mãos de cerca de um quinto da população.

O estudo indica que isso significa que a maior parte da população é dona de apenas 5,5 por cento das riquezas mundiais. Em média, os membros desse segmento tiveram um rendimento anual individual de 3.851 dólares em 2014.

Entre aqueles que integram o segmento mais rico, o rendimento médio anual é de 2,7 milhões de dólares.

A Oxfam defendeu a tomada de medidas urgentes para reduzir o "crescimento da desigualdade". A primeira delas deve ter como alvo a evasão fiscal praticada por grandes companhias.

O estudo foi divulgado um dia antes do aguardado discurso sobre o estado da União a ser proferido pelo presidente americano Barack Obama amanhã, 20.

Espera-se que o mandatário da nação mais rica do planeta defenda o aumento de impostos para os ricos com o objectivo de ajudar a classe média.

XS
SM
MD
LG