Links de Acesso

Mortes sobem para 19 em ataque a museu de Tunis


Homens armados atacaram museu em Tunis

Homens armados atacaram museu em Tunis

Homens armados abriram fogo a um dos principais museus da capital da Tunísia, matando pelo menos 19 pessoas, informaram as autoridades tunisinas.

O ataque ao Museu Nacional do Bardo obrigou à evacuação do Parlamento da Tunísia, mesmo ao lado do museu.

A estação comercial Radio Mosaique disse que três homens fardados a militar podem ter feito reféns dentro do museu.

No início do dia, o porta-voz do Ministério do Interior, Mohamed Ali Aroui, havia dito à Radio Mosaique que um dos mortos era tunisino sem revelar as nacionalidades das outras vítimas.

No início da tarde, 19 mortos era o balanço, 24 feridos e dois atiradores tinham sido mortos pelas forças de segurança.

Turistas da Polónia, Itália, Alemanha e Espanha estão entre as vítimas.

O museu é uma grande atracção turística, tendo uma das maiores colecções de mosaicos romanos do mundo.

O atentado ocorreu no momento em que o parlamento analisava uma lei contra o terrorismo.

Ainda não se sabe quem são os autores do ataque, mas a Tunísia tem sofrido nos últimos anos com a violência dos extremistas islâmicos, alguns ligados ao grupo Estado Islâmico.

A Tunísia encerrou recentemente uma caminhada difícil em direcção à democracia, quando depôs o Presidente autoritário em 2011. Tem sido um dos países mais estáveis na região, mas não está livre dos avanços violentos de grupos ligados ao Estado Islâmico e à al-Qaida do norte de África, que ocasionalmente fazem das forças de segurança tunisinas alvos a abater.

Um número largamente desproporcional de recrutas tunisinos juntaram-se recentemente aos militantes do Estado Islâmico na Síria e no Iraque.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG