Links de Acesso

Elevado preço dos alimentos contribuiu para a Primavera Árabe


Elevado preço dos alimentos contribuiu para a Primavera Árabe

Elevado preço dos alimentos contribuiu para a Primavera Árabe

Aumento dos preços dos alimentos tem sido uma constante nos últimos 3 anos

O ano 2011 foi marcado pela subida exponencial do preço dos alimentos, com o pico mais alto registado em Fevereiro. Steve Baragona da VOA diz que foi a segunda maior subida do preço no espaço de 3 anos e que os especialistas afirmam não ser ainda o fim do agravamento da situação.

Num ano de protestos no mundo árabe, o aumento doos preços dos alimentos ajudou aos líderes e governos autocráticos a oprimirem as populações, corromperem-se e acentuar a pobreza.

No Egipto foi assim dado o ponta-pé de saída da revolução.

“Os preços estão altos. O que vamos fazer agora? Vamos ficar aqui até que abandonem o poder e deem lugar a outros que satisfaçam as nossas necessidades.”

O fogo politico cruzado que atravessou a regiao do Norte de África, é para muitas pessoas, quase o mesmo que assolou a Russia no passado Verão. A seca destruiu plantações e afectou um terço da agricultura russa. O governo russo recusou exportar os genéros alimenticios provocando o pânico dos mercados de mercadorias. E por conseguinte o preço da comida disparou, isso mesmo reconhece o director-geral do Instituto Internacional de Politica e Pesquisas Alimentares, Shenggen Fan.

“Definitivamente é uma das causas da Primavera Árabe.”

Em 2008, o Egipto tinha sido um dos vários países afectados pela subida do preço de alimentos através de protestos de rua.

A repetição em 2011 desse fenómeno oferece entretanto lições importantes, diz Shenggen Fan.

“A subida dos preços vai acontecer mais vezes e com maior frequência. Portanto esta é a primeira lição. A segunda é que o preço dos alimentos permanece relativamente muito alto.”

Shenggen Fan diz que os preços vao manter-se altos e voláteis por causa do aumento da procura e da fraca oferta. Chris Barrett um economista da Cornell University diz que a procura de alimentos é apenas um dos factores.

“É igualmente a diversão entre a comida e a alimentação perante a produção de biocarburantes.”

Nos Estados Unidos o ano de 2011 foi o primeio em que a maior parte do milho produzido foi convertido na produção do etanol em vez da alimentação do gado.

O factor climático tem também a sua influencia, já que as más condições meteorológicas podem causar disfuncionamentos nos mercados de mercadorias, o que faz com que a escassez de comida começa a ser igualmente vista como um dos resultados de mudanças climáticas.

XS
SM
MD
LG