Links de Acesso

São Tomé e Príncipe: Sindicato de Jornalistas solidário com Conceição Lima


São Tomé e Príncipe: Sindicato de Jornalistas solidário com Conceição Lima

São Tomé e Príncipe: Sindicato de Jornalistas solidário com Conceição Lima

Suspensão de programas é competência do Conselho Superior de Imprensa - diz o comunicado do SJS

Washington, 10 Dez - O Sindicato de Jornalistas Santomenses reagiu hoje as acusações de censura na Televisão Nacional e apelou ao respeito da liberdade de imprensa e de expressão.

O SJS reuniu-se esta manha os seus órgãos directivos tendo no final publicado um comunicado a imprensa onde manifesta solidariedade a jornalista Conceição Lima a produtora de um programa de debate politico suspenso por ordens do governo.

As denuncias de que o governo santomense estava atentar contra a liberdade de imprensa ao nível da TVS – Televisão Santomense - levou o Sindicato de Jornalistas Santomenses a reunir-se em sessão extraordinária esta Sexta-feira.

No final do encontro esta organização sindical saiu em defesa da jornalista Conceição Lima e do seu programa “Em Directo” cujo anuncio de suspensão lhe tinha sido comunicado na semana passada pela direcção desse órgão de imprensa.

Conceição Lima é a jornalista que devia ter entrevistado o líder da oposição da Cabo-Verde, Carlos Veiga, no dia 2 de Dezembro, mas viu-se obrigada a renunciar o seu intento por causa de uma ordem de cancelamento do seu director, citando ordens superiores.

A jornalista em causa decidiu então denunciar o incidente num dos jornais locais, e no dia seguinte foi-lhe comunicada igualmente pelo seu director que o seu contrato não seria renovado a partir de Janeiro, e mais ainda, que o seu programa seria suspenso durante o mês de Dezembro.

Hoje o sindicato dos jornalistas analisou esse diferendo que opõe a jornalista Conceição Lima a direcção da TVS e anunciou solidariedade para com a jornalista em causa, reconhecendo-lhe o direito ao trabalho.

A organização sindical diz que vai continuar a acompanhar o evoluir do processo, na busca de uma solução plausível do problema, considerado entretanto que a técnica em causa não se encontra em situação de desemprego efectivo.

Quanto a suspensão do programa “Em Directo” o sindicato dos jornalistas considera ser do foro da liberdade de expressão e uma matéria estritamente da competência dos órgãos vocacionados, nomeadamente o Conselho Superior de Imprensa.

O SJS apelou aos jornalistas e técnicos da comunicação social a unirem-se os esforços para a defesa dos interesses da classe.

XS
SM
MD
LG