Links de Acesso

Congo conta os votos

  • Correspondentes

Congo conta os votos

Congo conta os votos

Observadores apelam à calma enquanto se aguardam resultados.

Na República Democrática do Congo iniciou-se a contagem dos votos das eleições presidenciais e legislativas de Segunda-feira. Isto apesar das autoridades terem permitido que em alguns locais a votassem continuasse hoje.

Nos locais onde a votação terminou como programado entidades eleitorais esvaziaram as urnas de votos e começaram a contagem juntamente com representantes dos partidos políticos.

Em muitas assembleias de votos a contagem foi lenta devido ao tamanho dos boletins de voto que em alguns distritos possuíam 48 páginas.

Registaram-se contudoo atrasos na votação em algumas zonas devido á falta de boletins e nesses casos a comissão eleitoral permitiu que a votação se realizasse hoje.

Alguns atrasos foram motivados por violência na cidade de Lubumbashi onde homes armados atacaram uma assembleia de voto e uma coluna de veículos transportando material eleitoral.

O processo foi também afectado por alegações de fraude, incluindo numa assembleia de voto na cidade de Goma.

O observador eleitoral independente Juvenal Byamungu que testemunhou o incidente disse que nesse local “quando começamos a contagem o presidente da assembleia de voto agarrou nos boletins e começou a rasga-los”


“ Nós tentamos tirar-lhe os boletins e foi então que a polícia começou a disparar para o ar e pessoas a correrem do local. Que eu saiba duas pessoas ficaram feridas e estão agora hospitalizadas, acrescentou

Na capital Kinshasa, eleitores atacaram um funcionàrio eleitoral que acusaram de tentar inflacionar o numero de votos a favor do candidato da oposição Kengo wa Dondo. Bonmifface Muamda activista dos direitos humanos confirmou a ocorrencia afirmando que observadores apanharam “um homem que trouxe um carregamento de votos marcados pelo candidato Kengo”.

“Quando o apanhamos ele estava a tentar encontrar meios para colocar os votos usados nas caixas .Tudo tinha sido organizado através do presidente da assembleia de voto," acrescentou

O principal candidato da oposição Etienne Tshisekedi disse que os seus apoiantes irão – nas suas palavras – assumir as suas responsabilidades se sentirem que houve fraude eleitoral.

Observadores eleitorias da União Europeia, da COMESA e do Centro Carter apelaram á calma enquanto se aguardam os resultados. John Stremlau vice epresidente para programas de paz no Centro Carter disse haver “eleitores frustrados por não chegarem a horas às assembleias de voto e por não terem instruções precisas sobre os procedimentos”.

“Esperamos que o país ultrapasse isto, que se mantenham pacificos e esperamos que os candidatos aceitem os resultados,” acrescentou

Entidades eleitorais disseram que os candidatos devem evitar publicar resultados parciais já que só a Comissão Eleitoral está autorizada a publicar resultados.

Os resultados finais deverão ser anunciados antes do mandato do presidente Kabila terminar na próxima Terça feira


XS
SM
MD
LG