Links de Acesso

Temporal em Malanje deixa 50 famílias ao relento

  • Isaías Soares

Temporal em Malanje deixa 50 famílias ao relento

Temporal em Malanje deixa 50 famílias ao relento

Residências, estabelecimentos comerciais e armazéns ficaram sem tecto devido ao temporal.

Fortes rajadas de vento e chuva deixaram mais de cinquenta famílias ao relento no bairro do Ritondo no município angolano de Malanje.

O fenómeno é o primeiro nos últimos vinte anos e as vitimas apenas lamentam o sucedido, como precisou Teresa Cardoso e outros interlocutores que foram obrigados a voltar para os aconchegos de familiares e vizinhos próximos.

Residências, estabelecimentos comerciais e armazéns ficaram sem tecto e nenhum apoio foi garantido até ao preciso momento. O sistema elétrico também não foi poupado.

“Vivo no bairro da Quizanga por causa da obra da natureza, perdi o tecto da casa e estou na rua desde ontem ”, assim como Domingas Quissola Fonseca, que ficou sem todos os haveres “ hoje não tenho sítio onde dormir, se dá para me arranjarem sítio para meter as coisas de momento melhor é”, lamentou, já que a residência do filho ficou igualmente descoberta depois de pagar o arrendamento da mesma.

Simão Bernardo de Oliveira apesar de ficar sem o tecto o imóvel está inundado com água e está à procura de apoio dos vizinhos para hospedar com a família, mas temendo outra calamidade.

Os Serviços de Proteção Civil e Bombeiros de Malanje reconheceram a gravidade da calamidade natural e confirmaram que os dados ainda são provisórios, segundo o porta-voz Miguel Bernardo António.

“A Comissão Provincial de Protecção Civil tem o controlo de 43 residências, o que perfaz 43 famílias atingidas e um total de 215 pessoas desabrigadas, ao relento e a custas de vizinhos ou parentes.

Até ao momento as buscas continuam, o bairro mais afectado é do Ritondo nas suas diversas zonas, não temos o registo de qualquer bairro em Malanje”, disse ele.


XS
SM
MD
LG