Links de Acesso

Angola acolhe conferência internacional sobre petróleos


Sede da Sonangol

Sede da Sonangol

O Instituto Nacional de Petróleos acolhe a partir de hoje a Conferência dos directores e responsáveis de formação dos países membros da Associação dos Produtores de Petróleo a nível de África.

O Instituto Nacional de Petróleos acolhe a partir de hoje a Conferência dos directores e responsáveis de formação dos países membros da Associação dos Produtores de Petróleo a nível de África.

A cerimónia de abertura dos trabalhos foi presidida pelo vice-ministro angolano dos petróleos José Gualter.

A decorrer no quilómetro 13 à norte da cidade do Sumbe onde fica situado o Instituto de Petróleos os participantes vão durante três dias analisar questões ligadas a formação de quadros e produção do crude no continente.

Num dos seminários sobre contratos petrolíferos realizado em Abril de 2009 na cidade capital angolana Luanda, a Associação dos Produtores de Petróleo Africanos recomendou a criação de um Instituto de Formação para técnicos dos países membros isto devido a carência de quadros e consequentemente a falta de partilha de informações entre os Estados membros da organização.

Segundo documento chegado até nós, a Associação dos Produtores de Petróleo Africanos foi instituída em 1972 na Nigéria com o objectivo de promover a cooperação entre países membros nos sectores detentores de hidrocarbonetos.

São no total catorze países que fazem parte da Associação nomeadamente: Angola, África do Sul, Argélia, Benin, Camarões, Congo Brazzaville, República Democrática do Congo, Cout d,Voire ou Costa do Marfim, Egipto, Gabão, Guiné Equatorial, Líbia, Nigéria e Tchade.

De recordar que o Instituto Nacional de Petróleos localizado no município do Sumbe é o único existente e, até agora ainda está vocacionado na formação apenas de técnicos médios nas especialidades de Mecânica, Pesquisa, Produção, Perfuração, Língua Estrangeira, Matemática, Química e demais especialidades adstritas ao ramo petrolífero.

Além de técnicos angolanos formados por cá, o Instituto forma também quadros oriundos de outros países como Moçambique, São Tomé, e dos dois Congos.

Numa visão de futuro isto é para breve o INP assim apelidado vai evoluir para Instituto Superior de Petróleos, tendo em conta o aumento de mais pavilhões construídos de raiz.

XS
SM
MD
LG