Links de Acesso

Presidente reeleita da Libéria promete trabalhar com a oposição


Ellen Johnson-Sirleaf dirige a Libéria desde 2005

Ellen Johnson-Sirleaf dirige a Libéria desde 2005

Ellen Johnson-Sirleaf diz que a Libéria pertence a todos e que ninguém deve ser deixado de fora inclusivé o seu opositor Winston Tubman

Resultados quase completos da segunda-volta das eleições presidenciais na Libéria mostram a presidente cessante Ellen Johnson-Sirleaf como tendo obtido uma fácil vitoria, num acto boicotado pelo seu opositor sob alegações de fraude.

O correspondente da VOA Scott Stearns na sua reportagem a partir da Líberia diz que a presidente Sirleaf prometeu incluir no seu governo membros da oposição .

Com uma vitoria de mais de 90 por cento dos votos até então contados, a presidente Sirleaf diz que vai trabalhar no sentido de unir o país após o contencioso processo eleitoral manchado pelo boicote e tumultos envolvendo apoiantes da oposição e a polícia de choque.

“Acreditamos que a Libéria vai encontrar o seu caminho, que certamente conduzirá todos os liberianos de todos os partidos politicos e assegurar que tenham interesse no futuro. A Libéria pertence a todos os liberianos e ninguém deve ser abandonado se quisermos ter sucesso no cumprimento dos nossos objectivos.”

A presidente disse que vai trabalhar no sentido de incluir candidatos da oposição no seu novo governo e desta vez muito mais em relação ao que foi feito após as eleições de 2005. A promessa de Ellen Johnson-Sirleaf inclui membros do maior partido da oposioção, o Congresso para a Mudança Demcorática – CDC de Winston Tubman.

“Para ser mais preciso, temos a intenção de contactar todos os líderes do CDC. Prentendemos ver como eles podem trabalhar. Como disse, temos que assegurar que haja a reconciliação de forma a atingirmos os nossos objectivos de desenvolvimento. Existem líderes eleitos e reeleitos do CDC que farão parte desta legislatura e nós iremos trabalhar com eles.”

O candidato presidencial do Congresso para a Mudança Democrática, o antigo minisitro da justiça, Winston Tubman boicotou a segunda-volta das eleições da Terça-feira sob alegações de que foram alterados os votos nas urnas durante a primeira volta do mês passado. Obsercadores eleitorais do Centro Carter e da Comunidade Económica dos Estados da Africa Ocidental – CEDEAO – disseram no entanto que a votação foi largamente livre e justa.

Tubman disse que não aceitará os resultados e que estava a considerar apresentar queixas no tribunal.

A presidente Sirleaf afirma estar confiante no mandato que lhe foi garantido pelas urnas e adianta que o novo governo de união deve fortalecer ainda mais esse mandato.

A presidente reeleita deverá fazer uma declaração ao país ainda hoje, logo a seguir ao anuncio final dos resultados.

XS
SM
MD
LG