Links de Acesso

ONU: Países Pobres Melhoraram Condições de Vida


ONU: Países Pobres Melhoraram Condições de Vida

ONU: Países Pobres Melhoraram Condições de Vida

O Relatório do Desenvolvimento Humano tem Portugal no 40º lugar e Moçambique quase em último.

As Nações Unidas concluíram que nos últimos 40 anos os países pobres fizeram progressos extraordinários na saúde, educação, e condições básicas de vida.
Este ano, relatório sobre o Desenvolvimento Humano refere-se aos últimos 40 anos em vez de, como é costume, apenas ao ano anterior.
O índice inclui 135 países, representando 90 por cento da população mundial, avaliados com base na saúde, educação e rendimentos.
Entre 1970 e 2010 registaram-se progressos muito importantes nas condições de vida. E muitos países pobres foram os que assinalaram mais progresso.
A analista da ONU Emma Samman nota que o índice de desenvolvimento subiu mais de 40 por cento desde 1970… E 18 por cento desde 1990. Conclui que o Mundo é hoje um sítio melhor para viver.
“Podemos dizer com alguma confiança que, hoje, as pessoas são mais saudáveis, têm mais habilitações literárias, e mais rendimentos do que nunca… A esperança média de vida subiu de 59 anos para 70… As matriculas escolares subiram de 55 para 70 por cento… E o rendimento per capita, em, termos reais, duplicou para mais de 10 mil dólares.” Disse Samman.
O Omão foi o país que mais progresso registou. Nos 10 melhores, encontram-se, ainda, a China, Nepal, Indonésia, Arábia Saudita, Coreia do Sul, Argélia e Marrocos.
Mas Samman adverte que não há correlação automática entre o crescimento económico e o progresso humano. A China, por exemplo, está nos 10 melhores, apenas devido ao progresso da componente económica do índice.
E deu o exemplo da China, onde “o rendimento per capita cresceu quase 2 mil por cento neste período, o que é verdadeiramente extraordinário. No entanto, se olharmos para o progresso na saúde e na educação os valores são muito menos impressionantes. Aliás, se lhe retirarmos o factor económico, a China cai dos 10 primeiros para 77º lugar.” disse
Em contaste com a China, o relatório destaca os países entre o 10º e o 20º lugar. Trata-se de países com rendimentos baixos e um índice de desenvolvimento mais elevado. A Etiópia, o Benim e o Camboja, são casos de países com progressos notáveis na educação e saúde pública.
A Ásia, particularmente a China e a Indonésia, foi a região com mais progresso desde 1970. Os países árabes também fizeram progressos assinaláveis.
A ONU nota que muitos países africanos e da ex-União Soviética fizeram menos progresso devido ao impacto da SIDA, guerra civil, instabilidade económica e outros factores.
Num dos indicadores mais preocupantes, a esperança de vida diminuiu na República Democrática do Congo, Lesoto, África do Sul, Suazilândia, Zâmbia e Zimbabwe.
Os PALOP são classificados da seguinte forma:
Portugal – 40º
Brasil – 73º
Cabo Verde – 118º
Timor-Leste – 120º
São Tomé e Príncipe – 127º
Angola – 146º
Guiné-Bissau – 164º
Moçambique – 165º
Consulte o relatório na íntegra (em língua inglesa) em: http://hdr.undp.org/en/statistics/

XS
SM
MD
LG