Links de Acesso

Moçambique: Veteranos pressionam para receber pensões

  • William Mapote

Hermínio dos Santos, líder dos ex-combatentes desmobilizados em Moçambique

Hermínio dos Santos, líder dos ex-combatentes desmobilizados em Moçambique

Segundo os antigos combatentes se o assunto não for resolvido só lhes resta descerem de novo à rua para mais manifestações.

Um grupo de veteranos de guerra moçambicanos exigindo o pagamento de pensões em atraso deu um novo prazo ao governo para resolver o seu problema.

Segundo os antigos combatentes se o assunto não for resolvido só lhes resta descerem de novo à rua para mais manifestações.

O grupo dos ex-combatentes liderados por Hermínio dos Santos deu ao governo um novo prazo, até a próxima segunda-feira, para que sejam recebidos pelo presidente Armando Guebuza sob ameaça de voltarem à rua para uma nova vaga de manifestações para exigir o pagamento de 12 mil meticais de pensão mensal.

O novo prazo foi apresentado quarta-feira, data em que expirava a primeira exigência, numa reunião que tiveram com o ministro dos Combatentes, Mateus Khida.

No encontro com o ministro, os ex-combatentes teriam sido informados da ausência de Armando Guebuza, em missão de serviço no exterior, e foram recomendados a oficializarem o seu pedido através de uma carta contendo todos os pontos de reivindicação.

Em conversa telefónica com a reportagem da “Voz da América” em Maputo, Hermínio dos Santos disse que a carta já deu entrada nesta quinta-feira.

Deste modo, os ex-combatentes dizem ter cumprido com todas as formalidades legais exigidas para o encontro com Armando Guebuza, e realçam que caso o mesmo não aconteça até segunda-feira, a partir do dia seguinte voltam ao Centro de Manutenção António Repinga, situado defronte do gabinete do primeiro-ministro, que definitivamente se tornará na base das suas concentrações para as manifestações cujos contornos afirmam poderão ser imprevisíveis.

XS
SM
MD
LG