Links de Acesso

Movimento das Lundas rejeita eleições


Saurimo, Lunda sul

Saurimo, Lunda sul

Dois activistas continuam detidos apesar de já terem cumprido as suas penas

O movimento que luta pela autonomia da região das Lundas rejeitou a possibilidade de participar nas eleições anunciadas na semana passada pelo presidente angolano José Eduardo dos Santos.

O Presidente da Comissão do Protectorado das Lundas, José Mateus Zecamutchima, acusou dos Santos de “falta de coragem política” por não reconhecer que Angola é formada por “vários povos” e que “ há um problema político nas Lundas porque o povo da Lunda quer a sua autonomia”.

Numa entrevista à Voz da America Zecamutchima disse que o seu movimento não tenciona participar nas eleições.

Tal só será possível após um acordo sobree a “autonomia administrativa” das Lundas.

“Nós não somos contra as eleições mas na Lunda tem que haver autonomia administrativa e se isso não acontecer vamos boicotar as eleições em todo o território da Lunda,” disse Zecamutchima para quem o seu movimento quer “fazer um casamento com o governo angolano mas para isso acontecer tem que se definir em primeiro lugar a posição da Lunda”.

Só depois de isso estar definido é que se poderá estudar “as condições em que as eleições serão realizadas no território da Lunda”.

“Nós não precisamos de deputados na assembleia do governo angolano, precisamos de deputados na assembleia do território da nação lunda,” disse Zecamutchima.

O presidente do movimento do protectorado das Lundas disse ainda á Voz da América que dois activistas que acabaram de cumprir as suas penas de um ano de prisão no passado dia 9 de Outubro continuam detidos.

Outros sete activistas estão também presos na Lunda e dois outros estão sob prisão domiciliária em Luanda.

Ouça a entrevista carregando na barra azul no topo

XS
SM
MD
LG