Links de Acesso

André Mingas: Recordando o grande divulgador da música angolana

  • Esperança Gaspar

André Mingas: Recordando o grande divulgador da música angolana

André Mingas: Recordando o grande divulgador da música angolana

André Mingas, recentemente falecido no Brasil, foi um dos grandes promotores da música angolana no estrangeiro.

Recordando André Mingas

André Mingas, recentemente falecido, foi um dos músicos e compositores angolanos que mais contribuiu além fronteiras para a promoção e divulgação da música angolana.

Mingas foi vice-ministro da Cultura e criou a Sociedade de Autores Angolanos. Estudou na Universidade Agostinho Neto e mais tarde em Lisboa onde obteve um mestrado em Arquitectura e Urbanismo.

Filipe Mukenga, amigo e também ele músico angolano, conversou com a repórter da VOA, Esperança Gaspar, sobre André Mingas falecido há pouco mais de uma semana no Brasil.

Cantor e compositor, dono de um género próprio, salsa semba e rebita, André Mingas, fez parte de uma geração de “ Ouro da música” que emergiu e teve êxitos nos anos 70 e 80, juntamente com Filipe Mukenga e Waldemar Bastos.

Consternado com a morte de André Mingas, Filipe Mukenga conta-nos que iniciou a sua parceria com André Mingas em 1976, do encontro mantido resultou o registo e interpretação da canção “ livre, mas sem asas”.

O companheiro e amigo de André Mingas, descreve a figura, do compositor, como sendo um excelente intérprete.
Filipe Mukenga, recorda com alegria, as aparições em público que fez com André Mingas. E um dos frutos desta parceria foi a gravação do clássico “ Humbiumbi” um tema cantado na língua Umbundo.

Filipe Mukenga, disse que o músico e compositor, André Mingas foi a sua principal influência, o levou a adoptar as dissonâncias que hoje o caracterizam como músico. Filipe Mukenga, considera que o ponto mais alto da parceria com André Mingas aconteceu no Brasil em 1982.

Gravado há 30 anos “Coisas da vida” foi o seu primeiro albúm. Um disco que continham canções como: Nzambi, Mufete, Esperança, Hino do amor, o que eu quero e Tchipalepa.

A ministra da Cultura Rosa Cruz e Silva, promete elevar cada vez mais o legado de André Mingas. A titular da pasta da Cultura, reafirma, o dever de continuar o percurso histórico dado por André Mingas.

Por seu turno o músico angolano, Carlos Burity, que iniciou a sua carreira nos anos 60 na província do Moxico, disse que a cultura angolana perdeu um grande homem.

Ouça a reportagem da Esperança Gaspar.

XS
SM
MD
LG