Links de Acesso

Mais de 20 elefantes abatidos no Niassa

  • William Mapote

Elefante abatido

Elefante abatido

Caçadores furtivos vindos da Tanzânia podem ser os responsáveis

Vinte e quatro elefantes foram abatidos nos primeiros seis meses deste ano, por caçadores furtivos que operam na Reserva do Niassa, uma área de conservação natural, localizada no norte do país, entre as províncias do Niassa e Cabo Delgado.

Segundo dados avançados à imprensa moçambicana, desconhecem-se ainda os autores desta situação, mas admite-se a hipóteses de serem cidadão tanzanianos, envolvidos com tráfico de marfim.

As operações de caçadores furtivos na Reserva do Niassa são facilitadas vulnerabilidade a que se encontra a fronteira entre Moçambique e a Tanzania, cuja extensão é de cerca de 300 quilómetros, grande parte dos quais, desprotegidos, por falta de fiscalização, o que facilita a entrada de emigrantes ilegais.

A situação da caça furtiva foi apresentada há dias a um grupo de parlamentares moçambicanos, que estiveram de visita a província do Niassa.

Os parlamentares se mostraram alarmado com o número de elefantes abatidos e apelaram para que as autoridades locais, tomem as medidas necessarias para conter a acção dos caçadores furtivos.

Os caçadores furtivos buscam os dentes de marfim dos elefanes que têm grande valor em mercados na Ásia

XS
SM
MD
LG