Links de Acesso

Benguela: Funcionários acusam governo de fazer aumentar a pobreza

  • António Capalandanda

Benguela: Funcionários acusam governo de fazer aumentar a pobreza

Benguela: Funcionários acusam governo de fazer aumentar a pobreza

Falta de pagamento de salários provoca queixas e acusações amargas de trabalhadores das escolas de artes e ofícios

Funcionários dos Pavilhões de Formação de Artes e Ofícios de Benguela queixam-se amargamente da falta de pagamento dos seus salários e acusam o govenro de ser responsavel pelo agravamento da pobreza e fome em Angola.

Os funcionários daquela instituição dizem que a pobreza continua a aumentar mesmo no seio dos cidadãos assalariados, perante uma subida de preços de produtos básicos alimentares nos mercados e constantes atrasos salariais.

Os trabalhadores, que falavam à Voz da América em condições de anonimato, para não sofreram represálias, reivindicam os cerca de cinco meses de ordenado em demora.

Ao não pagar os salarios “o governo está a fazer crescer a pobreza e a matar as pessoas com fome” disse um dos descontentes, acrescentando que, “ onde não há salário não há dinheiro e automaticamente há fome. E onde há doença existe morte.”

A Voz da América tentou sem sucesso ouvir as autoridades governativas de Benguela sobre esta questão.

Refira-se que, hà cerca de cinco anos que o Ministério da Administração Publica Emprego e Segurança Social, lançou o projecto dos Centros de Formação de Artes e Ofícios com intuito de proporcionar aos cidadãos com habilitações precárias e sem qualificação, residentes nas zonas periféricas e urbanas das dezoitos províncias do país, oportunidades de formação profissional, assim como a sua inserção e reinserção no mercado de trabalho e de participação na vida social na comunidade.

As especialidades ministradas são a da construção civil, artesanatos, comercialização de produtos, fundições, pesca operadores florestais, produção de artefacto cerâmicas, entre outros.

A falta de salários com que os seus trabalhadores se debatem tem afectado o normal funcionamento da instituição

XS
SM
MD
LG