Links de Acesso

Angola: Antigos combatentes de Malanje vão ter casa

  • Isaías Soares

Aspecto de um bairro residencial numa aldeia da província de Malanje em Angola

Governo disponibiliza mais de 40 milhões de dólares para a construção de mais de 1500 fogos habitacionais

Mais de 40 milhões de dólares norte-americanos estão disponíveis para a empresa Company construir 1500 casas do tipo T3 para distribuição aos Antigos Combatentes e Veterandos da Pátria residentes nos municípios de Malanje, Cacuso e de Cangandala.

A primeira fase do projecto Kussanguluka do consórcio Comandante Loy inícia em Outubro desde ano no bairro da Carreira de Tiro, a norte da cidade de Malanje, com o processo de infra-estrurturação das parcelas de terra onde serão erguidas as 500 habitações.

O director da imobiliária, Eduardo Reis garantiu que os edifícios contarão com redes de água, energia eléctrica, esgotos entre outros serviços essenciais.

“A pretenção nossa é começarmos já em meiados de Outubro até que se faça todo o projecto de urbanização no terreno, isso a gente já vai começar de inediato. A limpeza do terreno e tudo, para que, quando estiver pronto o projecto de urbanização podemos colocar já a pedra fundamental e iniciarmos com as obras. Essas quinhentas casas estão avaliadas um pouco mais de 40 milhões de dólares, vamos ter casas T3 comerciais e casa T3 económicas, as sociais têm espaços maiores, acabamentos melhores, tem uma suite e as casas económicas, ela tem um banho es paços menores.”

Vinte por cento das resisências serão entregues as comunidade, no âmbito de um protocolo firmado entre o consórdio Comandante Loy e o Minisrério da Família e Promjoção da Mulher, confirmou em Malanje o administrador para área produtiva, Fonseca Uchai.

O ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, Cundi Payhama defendeu recentmente nesta cidade, que os filiados deverão comparticipar na construção de residências pessoais, porquanto o Estado está desprovido de fundos para atender todos ao mesmo tempo.

“Infelizmente, para nós é mais fácil o governo dar casa, o governo pode ter esta obrigação, mas quanto é que somos? Mesmo dentro de uma casa tenho filhos, por exemplo, eu tenho 13 filhos não consigo dar a todos ao mesmo tempo. Escolho o que estuda mais, o que se comporta melhor recebe primeiro e outros ficam tristonhos, mas paciência. Por isso aqui, temos que compreender que o governo por muita vontade que tenha não tem recursos suficientes para dar tudo à todos ao mesmo tempo.”

A Direcção Provincial de Malanje dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria debate-se com verbas para comprar, entre outros bens, equipamentos de caprtintaria para a criação de uma cooperativa de prestação de serviços funerários, kits de trabalho para a produção de material de construção, canadianas (muletas), óculos para cegos, cadeiras de roda, meias para protéses e balões de roupa usada.

XS
SM
MD
LG