Links de Acesso

EUA querem aumentar ajuda a Moçambique e Angola


Rajiv Sha direcotr da USAID avistou-se com Armando Guebuza para discutir aumento da ajuda americana

Rajiv Sha direcotr da USAID avistou-se com Armando Guebuza para discutir aumento da ajuda americana

Armando Guebuza e director da USAID já tinham discutido possível aumento da ajuda

A administração Obama pediu ao Congresso um aumento da ajuda para Moçambique e Angola.

Pormenores desse pedido estão contidos num documento do Serviço de Pesquisa do Congresso (Congressional Research Service) um departamento que efectua estudos e publica documentos sobre os mais diversos temas para os congressistas.

Assim o estudo sobre ajuda americana ao exterior indica que a administração Obama pediu 424 milhões e 500 mil dólares de ajuda a Moçambique para o orçamento de 2012 um aumento de quase 43 milhões em relação ao ano anterior.

Moçambique está aliás colocado na lista dos dez maiores recipientes africanos de ajuda dos Estados Unidos.

Na semana passada uma destacada entidade americana tinha já indicado o desejo do governo americano de aumentar a ajuda a Moçambique.

Em Nova Yorque o presidente Armando Guebuza reuniu-se com Rajiv Sha, director da USAID, Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional, que disse que os Estados Unidos têm a intenção de aumentar a ajuda a Moçambique.

De acordo com o documento do Congresso a administração Obama quer também aumentar a sua ajuda a Angola de 60 milhões e novecentos mil dólares este ano orçamental para 72 milhões e 800 mil.

O principal recipiente africano de ajuda 2012 é o Quénia com um pedido ao congresso de mais de 750 milhões de dólares.

Face aos problemas orçamentais com que os Estados Unidos se depara não é um dado garantido que os pedidos feitos pela administração Obam serão aceites pelo Congresso.

Mas o estudo revela que a ajuda americana a África tinha vindo a aumentar substancialmente desde 2006 até 2010.

Nesse espaço de tempo a ajuda a África quadruplicou mas este ano orçamental, 2011, registou um queda passando de 8 mil e 90 milhões de dólares em 2010 para seis mil e 900 milhões.

Para o ano de 2012 a administração Obama pediu um total de sete mil e 700 milhões de dólares.

O estudo não indica a que sectores da se destina a ajuda pedida para Moçambique e Angola.

Mas no encontro da semana passada entre o director da USAID e o presidente Armando Guebuza o funcionário americano indicou a agricultura, a segurança alimentar, estradas e outras infra-estruturas como áreas em que Moçambique poderá beneficiar de um aumento da ajuda americana.

A salientar também que nesse pedido não se inclui programas de ajuda indirecta ou multilateral e também ajuda dada ao abrigo de outros programas como por exemplo a Conta do Desafio do Milénio e o plano de emergência para combate à SIDA, PEPFAR e o programa de combate a fome “Alimentar o Futuro”.

Para além de qualquer ajuda m bilateral Moçambique é já por exemplo um dos maiores recipientes de ajuda ao abrigo da Conta do Desafio do Milénio com um programa de 500 milhões de dólares já aprovados para diversos programas de desenvolvimento.


XS
SM
MD
LG