Links de Acesso

Obama anuncia novo plano económico com impostos sobre os mais ricos


Presidente Obama ameaçou vetar propostas que não tiverem em conta a aplicação de impostos aos mais ricos e companhias

Presidente Obama ameaçou vetar propostas que não tiverem em conta a aplicação de impostos aos mais ricos e companhias

A medida prevê arrecadar 1,5 biliões de dólares de receitas e reduzir em 3 biliões de dólares as despesas federais nos próximos 10 anos

O presidente Obama apresentou hoje uma proposta de redução do défice federal de 3 biliões de dólares e acrescentou que os americanos mais ricos e as empresas devem assumir a sua justa parte no pagamento dos impostos.

Numa alocução há muito aguardada, o presidente americano pôs-se claramente em confrontação com os Republicanos e ameaçou vetar todas as propostas contrárias.

O presidente Obama foi mais uma vez claro na sua tentativa de desarmar os seus opositores políticos que consideram a sua proposta de aplicação de impostos aos mais ricos como contraproducente no actual contexto de crise económica.

Obama afirmou que a América não sairá da crise reduzindo apenas as despesas. O presidente americano considerou por isso de normal pedir a todos para que paguem a sua “justa parte” dos impostos. Adiantou ainda que o seu plano fiscal de 1500 biliões de dólares que acaba de propor deverá ser financiado em metade pela subida dos impostos dos mais ricos, ao mesmo tempo que prevê um corte de despesas federais de 3 biliões de dólares para os próximos 10 anos.

“Não vou tentar equilibrar o orçamento através de corte o redução dos cuidados de saúde destinados as crianças pobres ou portadores de deficiências. Famílias da classe média não devem pagar mais taxas que os milionários e bilionários. É difícil argumentar-se contra isso.”

De acordo com o presidente Obama as novas receitas serão obtidas através de impostos sobre os salários dos americanos cujos rendimentos anuais são superiores a 1 milhão de dólares e das empresas.

No seu novo plano de despesas o presidente americano prevê investimentos nos sectores da educação, novas fontes de energia, infra-estruturas e criação de emprego.

Obama promete defender com honra o novo plano económico e ameaçou de recorrer a veto se vier a ser contrariado pelos seus opositores republicanos.

“Não darei o meu apoio a nenhum plano de redução do défice pondo todo o peso nos ombros do cidadão comum. E vetarei qualquer proposta que mude os benefícios daqueles que são protegidos cuidados de saúde mas que não peça ao mesmo tempo aos americanos ricos e as grandes companhias que paguem uma fatia justa dos impostos.”

O presidente americano lança assim em confronto com os Republicanos que na semana passada tinham anunciado que iriam opor-se a uma nova subida de impostos. O Republicano Paul Ryan que preside o Comité de Orçamento na Câmara dos Representantes advertiu para o facto do presidente Obama estar a lançar uma luta de classes.

Esta medida anunciada pelo presidente americano tem o apoio de alguns ricos americanos, dentre eles o bilionário Warren Buffet, cujo nome foi dado a nova proposta legislativa.

XS
SM
MD
LG