Links de Acesso

Prioridades americanas na ONU


Prioridades americanas na ONU

Prioridades americanas na ONU

Um alto responsável do Departamento de Estado norte-americano falou das prioridades da Administração Obama na actual reunião da Assembleia das Nações Unidas, sublinhando ainda que o primeiro evento a que iria assistir a Secretária de Estado americana, Hillary Clinton, à sua chegada a Nova Iorque no domingo, seria a reunião em que se iria discutir a ajuda ao Paquistão.

A Secretária de Estado Assistente americana para os Assuntos das Organizações Internacionais, Esther Brimmer, salientou que a Assembleia-Geral das Nações Unidas deste ano, será a segunda da Administração do Presidente Obama.

“No ano passado, o Presidente Obama tornou claro ter interesse em orientar os Estados Unidos no sentido de levar a cabo mais negociações internacionais de carácter multilateral, símbolo do advento da era dos engajamentos multilaterais.”

Disse ainda a diplomata americana que a Administração Obama amadureceu durante o último ano situando-se no limiar de uma era de acção no domínio internacional. Brimmer sublinhou o envolvimento dos Estados Unidos nas conferências sobre a segurança internacional e da não-proliferação, na assinatura do Novo Tratado de Redução de Armas Estratégicas, tornando-se ainda os Estados Unidos, pela primeira vez, membro do Comité dos Direitos Humanos da ONU.

Quanto ao futuro, a diplomata americana disse que os Estados Unidos têm quatro objectivos relativamente à presente Assembleia Assembleia-Geral das Nações Unidas: pôr em foco os Objectivos do Desenvolvimento do Milénio, melhorar as formas de trabalho deste organismo internacional pela paz e segurança internacionais, a promoção dos direitos humanos, à escala global, e ainda enfrentar os desafios do meio ambiente.

Esther Brimmer disse que a Secretária de Estado, Hillary Clinton, iria assistir a vários eventos relacionados com o Médio Oriente durante a sua presença em Nova Iorque, e que o primeiro evento em que Clinton estará presente à sua chegada a Nova Iorque seria uma reunião com destacados responsáveis doutros países para discutir a ajuda ao Paquistão, abalado pelas cheias.

Entretanto, a Secretária de Estado Hillary Clinton e o Ministro dos Negócios Estrangeiros australiano, Kevin Rudd, estiveram reunidos e falaram da importância dos esforços de ajuda ao Paquistão. O diplomata australiano acabava de regressar de uma visita às zonas inundadas pelas cheias na província central paquistanesa do Punjab, descrevendo a situação humanitária na área como sendo trágica.

“A minha mensagem à comunidade internacional é simplesmente esta, que o desafio ainda existe, não desapareceu. O risco de contrair doenças por contaminação através do consumo de águas impróprias, e a possibilidade doutras epidemias, continuam a ser uma realidade.”

Enquanto se encontrava no Paquistão, o ministro australiano encontrou-se com o representante especial das Nações Unidas no Afeganistão e no Paquistão, Richard Holbrooke, e com o seu homólogo paquistanês, Shah Mehmood Qureshi.

Por sua vez, a Secretária de Estado americana, Hillary Clinton, elogiou os esforços do governo australiano na ajuda ao povo paquistanês.

“Devemos agora assegurar que a verba destinada à ajuda do povo paquistanês alivie, na realidade, o seu sofrimento, e o apoie na reconstrução do seu país.”

As intensas chuvas das monções do passado mês de Julho, no norte do Paquistão, provocaram cheias devastadoras por todas as regiões sul do país, provocando a morte de mais de mil e 700 pessoas ficando sem tecto milhões doutras.

XS
SM
MD
LG