Links de Acesso

Julgamento de manifestantes retomado em Luanda


Julgamento de manifestantes retomado em Luanda

Julgamento de manifestantes retomado em Luanda

Audiência prossegue com muita polícia e sem jornalistas

Julgamento em Luanda

Foi retomado esta manhã o julgamento dos 21 manifestantes presos durante as manifestações do passado fim de semana em Luanda. Tal como ontem, foi proibida a presença de jornalistas na sala; o dispositivo de segurança em torno do tribunal de pol+icia foi reforçado.

Ontem, a audiência prolongou-se até cerca das 23h30, tendo sido ouvidos todos os 21 arguidos, o último dos quais o mais mediático organizador das manifestações, o rapper Casimiro Carbono.

Os policias queixosos foram ouvidos antes e apresentaram 13 pedras que dizem terem sido lançadas pelos manifestantes detidos. Não se sabe se há provas de ADN que relacionem directamente as pedras com algum dos detidos, ou se os polícias podem associar especificamente as pedras com alguns dos acusados; de outra forma, poderiam ter sido arremessadas por qualquer pessoa.

O testemunho médico não permitiu aferir se os ferimentos superciciais sofridos pelos polícias foram causados por aquelas pedras. Ouvidos os queixosos e os arguidos, está prevista, para sexta-feira, a audição das testemunhas.

Em frente ao tribunal realizaram-se ao longo do dia de auinta-feira manifestações espontâneas que foram dispersadas pela polícia sem incidentes de monta.

Há notícias no entanto que várias pessoas foram presas quando tentavam dirigir-se á embaixada dos Estados Unidos para entregarem uma mensagem ao embaixador americano.

M'Fuka Muzemba, dirigente da JURA, a organização da juventude da UNITA, terá sido preso quando tentava fotografar as manifestações.

Ouça a conversa que mantivemos com o nosso correspondente ao fim da tarde.

O nosso correspondente está no tribunal a acompanhar o julgamento e iremos actualizar esta informação com o decorrer do julgamento.

XS
SM
MD
LG