Links de Acesso

Assis Malaquias diz que política externa de Angola é um sucesso


"Ppolitica externa de Angola tem sido um sucesso" - Dr Assis Malaquias do Centro Africa para Estudos Estratégicos

"Ppolitica externa de Angola tem sido um sucesso" - Dr Assis Malaquias do Centro Africa para Estudos Estratégicos

Desafio será agora atraír Estados Unidos e "democracias maduras"

Desde a indepêndencia que a política externa de Angola, baseada na "presistência e constante recalibração", tem sido um dos poucos sucessos de que o governo pode gabar-se.

Esta é a conclusão de um estudo da política externa angolana do Dr. Assis Malaquias do Centro África para Estudos Estratégicos, um centro de estudos sediado em Washington.

No estudo, publicado pelo Instituto de Relações Externas da Africa do Sul, o Dr Malaquias afirma que esse sucesso pode ser atribuído ao reconhecimento por parte do partido no poder, o MPLA, da relação inextricável entre a segurança interna e as relações externas de Angola.

O Dr Malaquias escreveu que aquando da independência "o MPLA reconheceu que a sua sobrevivência involvia frustrar as intensões hostis dos seus vizinhos".

"Dado os seus fracos recursos a liderança do MPLA envolveu os seus amigos internacionais e assegurou a sua ajuda para esse objectivo," disse Malaquias.

No estudo, titulado " A Política Externa de Angola: Recalibrações Pragmáticas", o Dr Malaquias recorda que nos anos de 1980 quando o processo de consolidação do regime foi posto em perigo por uma actividade militar rebelde apoiada por ajuda internacional, "os esforços diplomáticos do governo de Angola asseguraram mais uma vez apoio externo suficiente para garantir a sobrevivência".

"Nos anos de 1990 ameaças internas e externas foram aumentadas na sequencia do colapso do principal apoiante de Angola, a União Soviética" e "contra todas as previsões a diplomacia muitas vezes não convencional de Angola, que requereu a construção de uma rede de procura de armas no mercado negro internacional para evitar um embargo de armas, assegurou a vitória sobre os rebeldes", acrescentou.

O Dr Malaquias faz notar no seu estudo que após a guerra Angola procurou inicialmente apoio ocidental para a sua reconstrução mas quando não obteve apoio "mudou a sua atenção diplomática para o oriente e teve sucesso em desenvolver uma importante parceria estratégica com a China".

Apesar dos sucessos o estudo afirma que desafios internos presistem e que estes desafios irão "complicar-se" quando o Presidente José Eduardo dos Santos deixar o poder.

"As relações externas de Angola irão mais uma vez jogar um papel crucial em fazer face aos desafios nascentes," escreve Assis Malaquias para acrescentar que "desta vez o focus será em atraír os Estados Unidos e outras democracias maduras a complementarem a ajuda actualmente fornecida pela China e ajudar Angolaa manter-se firme no avanço para uma paz positiva".

Pode ouvir uma entrevista com o Dar Assis Malaquias carregando na barra azul em cima.


XS
SM
MD
LG