Links de Acesso

Propaganda Eleitoral No Brasil


Propaganda Eleitoral No Brasil

Propaganda Eleitoral No Brasil

O início da propaganda política no Brasil, veiculada em cadeia nacional na televisão e no rádio, nesta terça-feira, 17, não foi marcado por grandes surpresas. Os dois candidatos à presidência líderes nas pesquisas, Dilma Roussef (PT) e José Serra (PSDB), apelaram para a emoção dos eleitores e usaram a figura do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Para especialistas, o impacto da campanha nas mídias eletrônicas sob o eleitorado só poderá ser medido em alguns dias, mas a estréia ficou dentro do previsto. Com 78% de aprovação, o presidente brasileiro foi o grande destaque no programa da candidata dele, além de ser citado até na música de campanha do candidatado da oposição. O jingle de José Serra diz “sai o Silva”, em alusão ao presidente Lula, “e entra o José”.

Com ampla vantagem nas pesquisas de intenção de votos na corrida presidencial, Dilma Rousseff apresentou-se como mãe e mulher. A candidata petista valorizou sua trajetória política, usou depoimentos de companheiras de luta e prisão durante a ditadura brasileira e teve em vários momentos a voz do presidente Lula como narrador.

Já José Serra, explorou sua infância e destacou a experiência e os feitos enquanto Ministro da Saúde, Prefeito e Governador de São Paulo. A terceira candidata mais bem colocada nas pesquisas, Marina Silva (PV), preferiu usar o pouco tempo que tem na televisão e no rádio para falar do meio ambiente. Marina alertou sobre a degradação dos recursos naturais e defendeu políticas de desenvolvimento sustentável.

Nesta terça-feira, primeiro dia de propaganda política no Rádio e TV, mais uma pesquisa mostrou a vantagem da candidata do presidente Lula. Dilma Rousseff abriu 16 pontos na liderança na corrida presidencial e chegou a 45% das intenções de voto.

O candidato do PSDB, José Serra, ficou com 29%. Já a candidata do PV ao Palácio do Planalto, Marina Silva, registra 8%. Os outros candidatos não somam 1%. Se a eleição no Brasil fosse hoje, a candidata petista venceria no primeiro turno, já que os votos de todos os adversários juntos não superariam as intenções de voto de Dilma.

XS
SM
MD
LG