Links de Acesso

Pré-candidato Republicano abandona a corrida às presidenciais


Tim Pawlenty, Governador Republicano do Estado do Minnesota

Tim Pawlenty, Governador Republicano do Estado do Minnesota

Tim Pawlenty desistiu do seu projecto político após ficar no terceiro lugar na votação-teste do fim-de-semana no Iowa

A lista de pré-candidatos republicanos desejosos em desafiar o presidente Barack Obama nas eleições do próximo sofreu uma baixa com o anúncio da retirada do governador Tim Pawlenty do Estado do Minnesota.

Michelle Bachmann da ala do Tea Party ganhou a voto-teste de Iowa. Entretanto o governador do Texas, Rick Perry anunciava horas depois e ainda durante no fim-de-semana a sua entrada na corrida.

O governador Tim Pawlenty disse que esperava dinamizar a sua campanha durante a votação teste do último Sábado em Iowa onde os eleitores republicanos foram convidados a votar em sete pré-candidatos as eleições do próximo ano.

A votação de Iowa funciona como um barómetro eleitoral, e o seu simbolismo político pesa bastante, já que o primeiro Cáucaso do partido republicano terá inicio nesse Estado.

“Nós precisávamos obter mais sustentabilidade para continuar a caminhada. Isso não aconteceu, e por isso vamos dar por concluída a campanha.”

Pawlenty falava no programa do fim-de-semana da televisão ABC. Na votação teste de Iowa ele ficou no terceiro lugar, bem longe dos congressistas Michelle Bachmann que por sinal é representante do Minnesota e Ron Paul do Texas.

Pawlenty disse que o legado de governador durante dois mandatos num Estado de preponderância democrata não foi suficiente para convencer os eleitores Republicanos e atrair grandes contribuições financeiras para a sua campanha. Ele saudou por isso Michelle Bachmann e Ron Paul pela vitória.

A vencedora da votação de Iowa, Michelle Bachmann, conta com um substancial apoio dos conservadores bem como da facção do Tea Party conhecida pela sua virulenta posição anti-fisco e gastos públicos. Ela fez parte do grupo dos congressistas Republicanos que votou contra o aumento do tecto da dívida americana.

Durante uma entrevista ao Canal Fox News ontem Domingo, foi-lhe perguntado se se considerava como um dos responsáveis pela recente degradação da cotação dos Estados Unidos pela Standard and Poors.

Ela atribuiu a culpa aos Democratas.

“Você não pode gastar o que não tem. Temos que começar a pagar as nossas dívidas. É isso que a Standard and Poors nos está a dizer.”

Do lado do partido Democrático o presidente Barack Obama não tem nenhum concorrente na sua recandidatura. Apesar das sondagens mostrarem que uma grande maioria de americanos desaprovam a sua acção, tais números não são comuns para um presidente que se encontra a um ano da sua possível reeleição.

XS
SM
MD
LG