Links de Acesso

Rapto de filha de Bento Bembe rodeado de mistério


Sem falar. Bento Bembe mante o silencio sobre o alegado rapto da sua filha

Sem falar. Bento Bembe mante o silencio sobre o alegado rapto da sua filha

"Mimy" desapareceu depois de ter sido levada de taxi da residencia de um familiar em Kinshasa. Facções da FLEC negaram envolvimento

A filha de António Bento Bembe foi vista pela última vez, em Kinhasa, ao entrar para um táxi após um almoço na residência de um famíliar - soube a Voz da América.

Nehuma entidade, militar ou civil, reivindicou até ao momento o rapto da filha do secretário de Estado para os Direitos Humanos de Angola, também subscritor do Memorando de Entendimento para a Paz em Cabinda e ex-dirigente da FLEC.

A vítima foi identificada por fontes da Voz da América em Cabinda,apenas por Mimy, uma estudante do terceiro ano de medicina em Kinshasa, com 28 anos de idade.

De acordo com um relato feito à VOA, ela terá sido raptada em Kinsahsa, no Congo Democrático, ao princípio da tarde do dia 25 de Julho, momento depois de ter saído de um almoço em casa de um tio tido como um diplomata angolano destacado naquele país.

Segundo apurou a Voz da América, ela terá sido levada por um taxista que se supõe ter sido usado pelos raptores.

As fontes, que se afirmam conhecedoras da tácticas dos movimentos independentistas, admitiram que a jovem poderá ter sido levada para as matas do Maiombe no mesmo dia.

Ontem as facções da FLEC, que operam no enclave, contactadas pela Voz da América negaram que estivessem por detrás da acção.

Bento Bambe, que é presidente do Forum Cabindês para o Diálogo, viajou segunda-feira até à cidade de Cabinda mas não assistiu ao acto oficial que marcou o 5º aniversário da assinatura do Memorando de Entendimento, tendo indicado para o representar, o seu secretário-geral André Lello.

Bembe confirmou ontem o rapto à VOA, mas recuouse a falar sobre a questão, afirmando apenas: "Não quero fazer acusações contra ninguém".

XS
SM
MD
LG