Links de Acesso

Estados Unidos: Eleitores continuam divididos, e só faltam 4 meses para eleições

  • Jim Malone

Presidente Barack Obama num comício no Estado da Florida, Abril 2012

Presidente Barack Obama num comício no Estado da Florida, Abril 2012

Últimas sondagens confirmam a crescente polarização política num país de várias e profundas diferenças

Polarização política em ano de eleições

Todos os indicadores apontam que as eleições presidenciais deste ano aqui nos Estados Unidos vão ser cerradas entre o presidente cessante Barack Obama e o presumível candidato republicano, o antigo governador de Massachusetts, Mitt Romney.

Os especialistas afirmam que a polarização política é uma das razões para esta disputa renhida das eleições.

A polarização do espectro político americano foi construída ao longo de décadas. As disputas partidárias ao nível do Congresso em torno dos orçamentos e da dimensão do governo combinadas com as dificuldades na adopção de políticas sociais como o aborto e o casamento de homossexuais, tornaram esta realidade ainda mais difícil entre os dois partidos: o democrático, e o republicano.

Peter Brown é especialista no Instituto de Sondagens da Universidade Quinnipiac.

“Vivemos num país polarizado. Também vivemos num país onde existem diferentes tipos de pessoas que têm estilos e valores diferentes de vida. Por enquanto, o que sabemos é que se você vive numa zona urbana a tua tendência é votar no partido Democrático. E se viver numa área rural, tende-se a votar Republicano.”

A polarização política é assim tão evidente e em várias formas. Por exemplo os eleitores brancos e casados e que vão regularmente à igreja tendem a votar nos Republicanos, enquanto os não-brancos e solteiros e menos religiosos apoiam os Democratas.

Nas últimas décadas desenvolveu-se uma grande separação política no que toca as questões de género. Os Democratas tendem a fazer o melhor em torno das mulheres, enquanto os Republicanos procuram obter vantagens nos homens. Deve-se no entanto notar que essas tendências estão sujeitas a flutuações dos ciclos eleitorais.

“É de considerar que o presidente Obama tem 20 pontos de vantagem entre os solteiros. Mitt Romney tem por sua vez 13 pontos de liderança entre os eleitores casados. Portanto é uma grande separação.”

O factor de maior divisão que surgiu nos últimos anos é a maneira como os Americanos encaram o papel do governo central ou seja, federal. Uma recente sondagem do Wall Street Journal e a cadeia de televisão NBC concluiu que 49 por cento dos inquiridos acham que o governo deveria fazer mais para ajudar as pessoas. Outros 47 por cento afirmam que o governo está fazendo em demasia.

Norm Ornstein do Instituto Americano de Empresas diz que as querelas partidárias no Congresso fazem perder muito tempo, e os resultados quase que em nada beneficiam os cidadãos comuns.

“A tomada de posição é boa se a solução do problema faz parte do jogo, e a este nível, é quase sempre apenas a tomada de posição e não a solução do problema.”

Os especialistas afirmam que os eleitores contribuem para a polarização política seguindo as posições dos partidos. Nalguns casos a eleição de membros do Congresso para defender certos princípios políticos, pode tornar-se difícil, se não houver um compromisso à priori. Noutros, é ainda mais difícil, sobretudo em situações de renovação de mandato.

XS
SM
MD
LG