Links de Acesso

EUA arriscam "calamidade financeira"

  • Paulo Oliveira

EUA arriscam "calamidade financeira"

EUA arriscam "calamidade financeira"

O Republicano Mitch McConnell avisa que uma falência pode destruir o partido

O presidente Barack Obama e oito dirigentes do Congresso – republicanos e democratas – realizaram uma quinta sessão de negociações destinadas a obter um acordo visando a redução do défice e um compromisso sobre o limite da dívida.

As conversações foram marcadas por uma confrontação verbal entre o presidente Obama e um dirigente republicano.

Embora a Casa Branca não comente, declarações de adjuntos dos representantes Democratas e Republicanos, indicam que o encontro de quase duas horas foi o mais conflituoso de todos, já que as duas partes enfrentam pressões no sentido de encontrar uma solução para o impasse.

Segundo assessores do republicano Eric Cantor, o presidente Obama abandonou a sala após uma tensa troca de opiniões sobre a forma como resolver o défice e o impasse sobre a dívida pública.

Fontes democratas contestam a ideia de abandono, referindo que Obama expressou frustração sobre a postura dos republicanos e a ausência de compromisso, e deu o encontro por concluído.

O agudizar da tensão verificou-se quando a agência financeira Moody alertou para a eventualidade da cotação do crédito dos Estados Unidos ser reduzida.

Anteriormente, o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, tinha comentado a proposta do senador da minoria republicana Mitch McConnell como sendo o reconhecimento por parte dos republicanos de não existir alternativa para o aumento do limite da dívida.

“O presidente está preparado e deseja obter um acordo que reduza o défice o mais possível”.

Numa audiência perante uma comissão do Congresso, o presidente da Reserva Federal (banco central dos EUA), Ben Bernanke testemunhou que o incumprimento da divida federal poderá ter um enorme impacto.

“É evidente que se chegarmos ao incumprimento da dívida, isso será uma enorme crise”.

Segundo o porta-voz da Casa Branca o presidente Barack Obama vai continuar a pressionar no sentido de uma solução que inclua uma grande redução do défice e o aumento do plafond da dívida federal.

XS
SM
MD
LG