Links de Acesso

Os residentes voltam a Mogadíscio

  • Mohammed Yusuf

Os sons de construção são ouvidos por todo o lado com novas residências, hotéis e centros comerciais

Novas residências, hotéis e centros comerciais

O aparecimento da paz na capital da Somália, Mogadíscio, deu uma nova face à cidade. Os residentes estão a voltar e a recuperar as suas casas e lojas que se encontravam crivadas de balas.

O som dos martelos substituiu o das metralhadoras nas ruas de Mogadíscio.

Os sons de construção são ouvidos por todo o lado com novas residências, hotéis e centros comerciais. As empresas prosperam, as instituições governamentais estão a ser renovadas, e os que constroem reclamaram as suas propriedades que tinham sido ocupadas.

Hassan Sakay Ali, dono de uma serração, num local conhecido por Quilómetro Cinco, indicou ao repórter da Voz da America que tem tido uma enorme procura de materiais de construção, e que devido à procura os preços subiram.

As pessoas têm vindo à procura de materiais de construção, diz Ali. A maioria das pessoas que vem comprar estão a construir novas casas ou a renovar as existentes.

Durante 21 anos de anarquia, a infra-estrutura de Mogadíscio foi reduzida a destroços, e agora que atravessa o período mais longo de uma paz relativa, a cidade faz progressos notáveis.

Um novo armazém está a crescer no Quilómetro Cinco. Mohammed Hussein refere que os edifícios da área foram destruídos pelos anos de guerra, mas que as pessoas começaram a reconstruir.

Hussein precisa que a construção começou quando as forças governamentais assumiram, há seis meses atrás, o controlo total da zona.

A anarquia na Somália tinha-se tornado numa coisa normal, acentua Hussein, e parecia nunca mais ter fim.

O presidente da câmara de Mogadíscio, Ahmed Nur, indicou ao repórter da Voz da América ter poucos recursos e que é difícil ter uma perspectiva da febre de construção na cidade.

As pessoas estão a recomeçar as suas vidas em Mogadíscio, onde o regresso da segurança e da ordem ainda está longe. Em alguns bairros milicianos controlam os postos de controlo governamentais, num sinal evidente do caos que dominou a cidade durante anos.

A explosão económica é alimentada pelos expatriados que regressam e que estão a investir milhões de dólares. Isto fornece postos de trabalho a milhares de jovens milicianos ansiosos por abandonarem o mercado da morte.

Harreed Dagey regressou de Londres há seis meses atrás e abriu um novo restaurante próximo da Praia do Lido, e tenciona construir um hotel. Diz ele que mais Somalis devem regressar a casa para reconstruir a economia.

XS
SM
MD
LG