Links de Acesso

Cabo Verde: analista comenta resultado das autárquicas

  • Eugénio Teixeira

Vulcão da Ilha do Fogo

Vulcão da Ilha do Fogo

Nas eleições autárquicas realizadas no passado 1 de Julho, o Movimento para a Democracia voltou a sair vitorioso, tendo reforçado o número de Câmaras municipais passando de 11 para 13, sem esquecer do apoio ao Grupo Independente GIMS que renovou o mandato na ilha do Sal.

Cabo Verde: analista comenta resultado das autárquicas

Nas eleições autárquicas realizadas no passado 1 de Julho, o Movimento para a Democracia voltou a sair vitorioso, tendo reforçado o número de Câmaras municipais passando de 11 para 13, sem esquecer do apoio ao Grupo Independente GIMS que renovou o mandato na ilha do Sal.

Um dado que tem chamado atenção da opinião pública, prende-se com o facto de o MPD ganhar as eleições autárquicas nos últimos, mas não conseguindo esse feito nas eleições legislativas, ganhas pelo PAICV desde 2001, que está já no terceiro mandato consecutivo.

Sobre essa questão, o analista político, José Maria Semedo, diz que os cabo-verdianos já conseguem separar as águas, não confundindo uma eleição com outra:

“O que me espanta não é o resultado, mas sim o discurso dos partidos. Durante a campanha os partidos fizeram um grande esforço para explicar a população que são duas coisas distintas para a população separar as águas. Há uma incoerência no discurso dos partidos…nas eleições autárquicas pesam muito mais os candidatos que localmente trabalham com a população…..o MPD tem escolhido melhor os candidatos e tem feito um melhor trabalho no terreno”.

O líder do MPD partido que ganhou as eleições autárquicas, Carlos Veiga, disse que esse triunfo constitui um cartão vermelho ao Governo, devido às más políticas que tem seguido e promessas não cumpridas.

Sobre isso, o analista política José Maria Semedo faz a seguinte leitura:

“É o discurso de um político que temos de entender como tal. Efectivamente sabemos que o PAICV não tem tido bons resultados no campo social, promessas como o décimo-terceiro mês, há já uma certa efervescência no quadro laboral, no domínio da docência há pessoas que reclamam a progressão na carreira, há um quadro que não é muito favorável em grande parte devido a crise económica internacional mas é a crise interna do que está a acontecer fora do país.”

José Maria Semedo considera que os principais partidos neste caso o PAICV e o MPD precisam chegar a entendimento, para a correcção de certos comportamentos e actos praticados durante o período eleitoral.

Analista político, José Maria Semedo, analisando as últimas eleições autárquicas que foram ganhas pelo MPD, assim como a tecer considerações sobre o comportamento dos partidos políticos durante o período eleitoral.

Oiça as declarações na íntegra clicando na barra azul ou no canto superior direito da página.

XS
SM
MD
LG