Links de Acesso

Suspenso repatriamento de angolanos da RDC

  • Faustino Diogo

Repatriamento tinha apoio da Agencia das Nações Unidas para os Refugiados

Repatriamento tinha apoio da Agencia das Nações Unidas para os Refugiados

Congo "não cumpriu trâmites", diz Angola

O repatriamento voluntário de mais de 40 mil angolanos que viviam na república Democrática do Congo foi adiado.

A operação que tinha o seu início previsto para esta Segunda-feira foi adiada por falta de condições logísticas.

De acordo com o Chefe do Departamento de Refugiados do Ministério da Assistência e Reinserção Social (MINARS), o Congo Democrático não concluiu os preparativos para o regresso dos angolanos ao seu país.

“As autoridades da República do Congo Democrático não enviaram um manifesto do número de pessoas a enviar para Angola nesta fase inicial e continuam a trabalhar na preparação de condições para que o processo arranque”, disse Alfredo Leite.

De recordar que passado dia 8 e Junho os governos de Angola, RDC e o Alto Comissariado das Nações Unidas para os refugiados assinaram, em Kinshasa, um acordo para o repatriamento de mais de 40 mil angolanos que ainda vivem na República Democrática do Congo a partir do dia 4 de Julho.

Dados do MINARS indicam que o processo de repatriamento de refugiados angolanos iniciou em 2003 e até 2007, regressaram ao país 410 mil refugiados de países que fazem fronteira com Angola.

XS
SM
MD
LG