Links de Acesso

Namibe: Vítimas das cheias vão receber casas

  • Armando Chicoca

Ajuda chegou às vitimas das cheias. Governo e organização não governamental enviaram tendas e outra ajuda

Ajuda chegou às vitimas das cheias. Governo e organização não governamental enviaram tendas e outra ajuda

Cerca de 18.000 pessoas poderão beneficiar. Organização "Amor ao Próximo" fornece ajuda

Milhares de pessoas afectadas por cheias e enxurradas em Março passado poderão ter casa em breve.

A governador provincial , Cândida Celeste da Silva, disse á Voz da América que as residencias vão começar a ser erguidas em Agosto.

Um encontro realizado nos últimos dias na cidade do Lubango, com o Ministro da Administração e do Território, Bornito de Sousa, no qual participaram os governadores das Províncias afectadas pelas calamidades naturais nesta região a questão das casas e de ajuda às vitimas foi analisada.

«Foi uma rica experiencia para nós, mas como o encontro foi ao nível dos Governadores Provinciais," disse a governadora que revelou que está prevista para esta semana, uma deslocação á Huila de uma delegação multissectorial.

"O objectivo da nossa deslocação ao Lubango visa constatar in-loco, a experiencia da Huila, no projecto de construção de casa progressivas para aquelas comunidades, de igual modo o tipo de materiais utilizados, para que em função da realidade da província do Namibe, possamos ter uma ideia do que vamos fazer, com a construção de residências dos nossos sinistrados, com o inicio previsto para o mês de Agosto», revelou.

A província já tem lotes distribuidos a cada uma das três mil e quatrocentas famílias, o que poderá acomodar num total de dezoito mil sinistrados, segundo a promessa da governante.

Para o efeito, o governo central disponibilizará cerca de sete mil e quinhentos dólares americanos por cada uma das três mil e quatrocentas residências progressivas a serem construídas.

«Mensalmente, serão construidas trinta residencias», assegurou a governante.

O projecto vai também contemplar os cidadãos que por razões de reabilitação dos Caminhos de Ferro de Moçâmedes terão as suas casas demolidas, por se encontararem num perímetro á menos de trinta metros da linha

«Está em causa o interesse maior do estado, póis a livre circulação de pessoas e bens resultante da circulação do comboio do CFM, a partir do Namibe, vai beneficiar as próprias comunidades», disse.

"Estão assim igualmente garantidas as condições de acomodação desta população, obviamente na base negocial que decorrera nos próximos dias, sem conflitos," revelou.

Enquanto se espera pela entrega aos beneficiários da residências a serem erguidas no próximo mês de Agosto, com vista garantir a protecção das crianças e dos idosos, procedeu-se neste final de semana a entrega de tendas convencionais aos sinistrados mais desfavorecidos.

Os apoios de Luanda, começaram a chegar aos sinistrados do Namibe.

O Ministério de Reinserção Social enviou igualmente para a Província, duzentas toneladas de bens diversos, entre tendas, chapas de zinco, cobertores e outros bens. Acrescido a esta vontade, um grupo de jovens, denominados “Amor ao próximo” doaram no passado sábado, diversos bens aos sinistrados, segundo a porta-voz do grupo Rossany Von Halfe, outros apoios virão á Provincia.

XS
SM
MD
LG