Links de Acesso

UNITA diz não a votação antecipada e no estrangeiro

  • Venâncio Rodrigues

Isaías Samakuva, presidente da UNITA

Isaías Samakuva, presidente da UNITA

Partido de Galo Negro diz que esta proposta da CNE é pouco transparente

UNITA rejeita proposta da CNE de votação antecipada

A UNITA demarcou-se das alterações à lei eleitoral, pretendida pela Comissão Nacional Eleitoral que prevê o voto antecipado e a votação no estrangeiro.

O secretário para as eleições e mandatário da UNITA, José Pedro Katchiungo, disse à Voz da América que esta atitude reflecte pouca transparência no processo eleitoral.

O responsável da UNITA acusa a CNE de querer substituir-se à Assembleia Nacional e garante que os seus representantes neste órgão vão bater-se contra tais intenções.

Segundo a CNE, o regulamento em causa visa permitir que os cidadãos eleitores que estejam impedidos de exercer o seu direito de voto por razões inadiáveis inerentes à sua profissão, possam fazê-lo na data prevista.

O mandatário da UNITA diz que este assunto já está devidamente previsto na lei eleitoral.

Sobre o voto no estrangeiro, o dirigente da UNITA afirmou que não pode haver cidadãos a votar fora dos locais onde se registaram.

O regulamento sobre o exercício do voto antecipado, foi aprovado no passado dia 26 de Junho, em Luanda, durante a VI sessão extraordinária da Comissão Nacional Eleitoral.

XS
SM
MD
LG