Links de Acesso

"Mulheres Sábias" querem orgulho na história

  • Pedro Dias

Mulheres Sábias. Helga Mandele (esquerda) e Flora Telo

Mulheres Sábias. Helga Mandele (esquerda) e Flora Telo

Projecto visa descobrir a verdadeira história de África

Descobrir a verdadeira história de África e fazer com que os africanos se sintam orgulhosos na sua identidade são algumas das razões de um projecto recentemente iniciado em Luanda.

“ Afidika: Nzo Yeto, Bukisi Beto” (África: nossa casa, nosso Lar), é o tema do projecto filmográfico que teve abertura no passado 14 de Junho.

O projecto é organizado pela Bankento'a Ngangu, mulheres sábias na língua nacional kikongo, constituído por duas juristas e uma promotora cultural.

O programa estriou-se com a exibição da curta-metragem "África - Uma História Rejeitada", do realizador Jason Williams gravado em 1995. A película narra a forma como “a história do Continente Africano foi manipulada, em benefícios de outros povos”.

"Afidika: Nzo Yeto, Bukisi Beto" (África: nossa casa, nosso Lar), visa analisar os aspectos tradicionais, identitários e históricos do continente berço das humanidade.

De acordo com uma das responsáveis projecto, Helga Mandele, haverá nessa fase inicial do projecto exibições trimestrais, todas as quintas-feiras de cada mês.

O acto de inauguração teve como convidado especial o historiador angolano Patrício Batsikama.

Segundo a agenda do programa, para o mês de Julho, está reservado ao multi-instrumentista nigeriano, pioneiro da música afrobeat e activista político Fela Kuti, numa abordagem a ser feita pelo activista socio-cultural africano Analtino dos Santos.

Em Agosto, será exibido um documentário sobre racismo, realizado pela BBC, cuja apresentação será feita, provavelmente, pelo sociólogo angolano João Paulo Ganga.

Segundo a responsável do projecto "Afidika: Nzo Yeto, Bukisi Beto" , Helga Mandele , a criação deste projecto surge também pelo facto de existir um certo pudor de alguns africanos identificarem-se tal como são.

Embora existam problemas políticos ou económicos em África, o projecto pretende também mostrar o outro lado social, antropológico e humano dos africanos, tendo em conta ser de uma essência verdadeira, garante Helga Mandele.

Os aspectos referidos são baseados na realidade angolana, sobretudo dos citadinos de Luanda.

XS
SM
MD
LG