Links de Acesso

Obama e Putin discutiram Síria

  • Kent Klein

Reunião durou mais de duas horas mas não sinais de acordo

Obama e putin discutiram Síria

A crise financeira na Europa foi o principal tópico de discussão na cimeira do G20 que se iniciou Segunda-feira no México.

Entre o esplendor da estância turística de Los Cabos os dirigentes das economias mais influentes do mundo expressaram preocupação pela situação económica da Europa.

Depois de se reunir com o presidente mexicano Felipe Calderon, o Presidente Brack Obama juntou a sua voz aqueles que estão a pressionar a Europa para apresentar um plano para fazer face à sua crise bancária e da dívida.

“Muita atenção tem estado centrada na Europa,” disse o presidente.

“Agora chegou a altura, como discutimos, de assegurar que todos nós vamos unir forças para fazer oque é necessário para estabilizar o sistema financeiro mundial,” acrescentou

Um dos principais conselheiros económicos do presidente, a sub secretária do tesouro Lael Brainard disse a jornalistas que os Estados Unidos querem uma resposta da Europa em breve

“Não esperamos decisões até todos os dirigentes da zona do Euro realizarem a sua cimeira no final de Junho, mas esperamos que haja uma direcção clara após a cimeira de Los Cabos,” disse.

Brainard disse que os Estados Unidos esperam que essa direcção seja para mais projectos que estimulem o crescimento económico europeu.

O presidente Obama discutiu a situação com a chanceler alemã Angela Merkel e fontes da presidência disseram que este tinha ficado encorajado com o que ouviu sobre os esforços para se resolver a crise.

O encontro de maior proeminência foi aquele com o presidente russo Vladimir Putin, o primeiro encontro desde que Putin regressou á presidência.

Esse encontro foi dominado pela violência na Síria cujo governo a Rússia apoia e de acordo com algumas informações tem estado a armar.
Depois de uma reunião de duas horas não ficou claro se Obama tinha conseguido convencer o seu homologo russo a persuadir o presidente Bashar al Assad a abandonar o poder.

“Concordamos que é preciso haver o fim da violência, que é preciso criar um processo político para se impedir a guerra civil e as mortes horríveis que temos testemunhados nas ultimas semanas,” disse Obama

O presidente Putin falou muito pouco sobre a Síria afirmando apenas que ele e o presidente Obama tinham encontrado pontos comuns nessa e noutras questões.

Putin falou muito pouco na conferência de imprensa e raramente encarou ou olhou para Obama durante a mesma.

O embaixador dos Estados Unidos na Rússia Michael Mcfaul disse que encontro tinha sido cordial e tinha decorrido em ambiente de trabalho. O embaixador rejeitou especulação que a atitude Putin nessa conferência de imprensa era um indicativo de más relações.

“Já estive em muitas reuniões com Putin. Já vi muitos vídeos dele. Não se passou nada de extraordinário. É esse o seu modo de ser e de actuar. Não daria nenhum significado aquilo que se passou,” disse

Obama agradeceu a Putin ter organizado as negociações com o irão sobre o seu programa nuclear.

O presidente americano expressou também gratidão pelo trabalho da Rússia na Rede de Distribuição Logística do Norte através da qual as tropas americanas no Afeganistão são apoiadas.

O presidente Obama pediu mais uma vez ao congresso para repelir uma lei de 1974 que nega á Rússia o estatuto de parceiro comercial com os Estados Unidos. Obama disse que abolir essa lei servirá para estimular o comércio entre os Estados Unidos e a Rússia.




XS
SM
MD
LG