Links de Acesso

Brasil: Voluntários procuram racistas na internet


Brasil: Voluntários procuram racistas na internet

Brasil: Voluntários procuram racistas na internet

Racismo e xenofobia são crimes no Brasil puníveis com multa e prisão.

Brasileiros voluntários intensificam o combate a actos de discriminação, sobretudo o racismo, pela internet.

Os "fiscais da cidadania", como têm sido chamados, pesquisam e encaminham às autoridades endereços de redes sociais, blogs e sites que pregam o ódio ao outro.

Os fiscais têm realizado, desde Março, levantamentos minuciosos e atualizados.
As denúncias são direcionadas ao portal da Fundação Cultural Palmares, instituição pública que tem a finalidade de preservar a cultura afro-brasileira.

Na mira dos voluntários estão grupos que criam comunidades que divulgam slogans como “Negro bom é negro morto” ou “Gay bom é gay morto”. Há ainda os grupos que fazem apologia à violência sexual, chegando a afirmar que "as mulheres precisam apanhar" para serem felizes.

Para o presidente da Fundação Palmares, Eloi Ferreira de Araujo, o trabalho dos fiscais da cidadania tem sido de fundamental importância “porque dá uma nova dimensão, um novo olhar para as redes sociais".

"São actores sociais que se organizam com o propósito de contribuir para identificar aquelas organizações que, no lugar de promoção da cultura da paz, promovem a cultura da intolerância, da ofensa, do racismo,” afirma.

Eloi Ferreira explica que as denúncias são encaminhadas às esferas competentes da justiça com o objetivo de ajudar o governo a aprimorar os mecanismos de fiscalização para que sejam tomadas as devidas providências.

“Nós não temos a competência para tratar do que pode ser tipificado como crime. É a autoridade policial que deve buscar o procedimento correto, se será um inquérito policial ou uma ação penal via Ministério Público,” detalha Araújo.

O presidente da Fundação Palmares admite que os brasileiros racistas e intolerantes têm encontrado na internet espaço para formas cobardes de expressão.

“O racista procura ficar no anonimato, ele não quer ser visto. Ele quer a sombra e imagina que escondido por uma página na internet não será alcançado. Mas, esses que colocam a cara na grande rede achando que não serão descobertos estão enganados. A forma que a internet está colocada hoje permite saber onde encontrar o ofensor, o racista, o homofóbico, o xenófobo e o misógino. Não é um trabalho fácil, exige técnicas sofisticadas de investigação e nós esperamos que as autoridades públicas tenham esses instrumentos de investigação para impedir que os agressores fiquem no anonimato,” alerta.

Racismo e xenofobia são crimes no Brasil puníveis com multa e prisão. A misoginia, discriminação contra mulher, e a xenofobia, contra estrangeiros, ainda não foram tipificadas.

Os fiscais da cidadania enviam as denúncias por meio do fale conosco no site www.palmares.gov.br.

XS
SM
MD
LG