Links de Acesso

Em Malange facções da FNLA envolvidas numa luta pelo edifício da sede


Prédio onde funciona a FNLA na cidade de Malanje

Prédio onde funciona a FNLA na cidade de Malanje

Reaver as instalações em posse dos militantes que se demarcaram da organização

Os partidários de Lucas Mbengui Ngonda na FNLA (Frente Nacional de Libertação de Angola) em Malanje aguardam por um pronunciamento da Procuradoria-geral da República na província para reaver as instalações em posse dos militantes que se demarcaram da organização.

O segundo secretário da FNLA, Simba Matuvanga garantiu que o despacho do procurador-geral da República nesta região exarado em Fevereiro de 2010 orienta os militantes rebeldes a fazerem a devolução dos bens do partido por intermédio do legítimo.

“Nós aqui em Malanje, particularmente que estou a falar, trabalhamos com todas instituições do governo, nós é que representamos o partido. O governo de Ngola Kabangu aqui em Malanje não existe, também não há ala aqui em Malanje, seja o procurador da província.

O problema da sede ainda está na posse deles, mas nós temos documentos. Estamos a espera que o Tribunal pronuncia-se, o procurador provincial de Malanje já se pronunciou acerca do assunto, os elementos são ilegais e não podem continuar. Mas nós não queremos criar confusão, como eles são habituados a criar confusão nós não queremos. Nós somos democratas, nós reconhecemos que são nossos irmãos, um dia eles virão junto de nós, porque a legalidade está num lado”.

A Delegação Provincial de Malanje da FNLA é liderada por Francisco José, ao abrigo do Acórdão 109 e 110/09, do Tribunal constitucional, de 18 de Julho e 13 de Novembro do mesmo ano, resultante do primeiro congresso extraordinário daquela formação política.

As correspondências e os encontros com os responsáveis daquele partido nesta capital são realizados numa lanchonete no centro da urbe e num armazém a saída para o leste de Angola.

Outro grupo de militantes da Frente Nacional de Libertação de Angola, correligionários de Ngola Kabangu encabeçado por Jacinto Cabanda Dala detém o controlo do imóvel provincial, uma situação constrangedora para o exercício político no país.

Simba Matuvanga precisou que ao nível do município de Malanje conta com mais de três mil militantes, para além de alguns núcleos nos municípios de Cangandala, Quela, Kiwaba-Nzoji e Cacuso, e nos próximos meses implantará em Massango, localidade que dista a 252 quilómetros desta capital.

XS
SM
MD
LG