Links de Acesso

Angola: ADRA aplica 500 milhões de kwanzas em projectos sociais

  • Isaías Soares

Malanje, centro da cidade

Malanje, centro da cidade

A Organização Não-Governamental angolana “Acção Para o Desenvolvimento Rural e Ambiente – Agência de Desenvolvimento” (ADRA – AD) absorveu no exercício financeiro do ano de 2011 mais de 500 milhões de kwanzas para a execução de projectos sociais em seis províncias do país.

Angola: ADRA aplica 500 milhões de kwanzas em projectos sociais

A Organização Não-Governamental angolana “Acção Para o Desenvolvimento Rural e Ambiente – Agência de Desenvolvimento” (ADRA – AD) absorveu no exercício financeiro do ano de 2011 mais de 500 milhões de kwanzas para a execução de projectos sociais em seis províncias do país.

O montante equivalente a mais de seis milhões de dólares norte-americanos foi obtido de fundos próprios da instituição filantrópica com 15 por cento, a par do Grupos África da Suécia com uma doação idêntica.

O presidente do conselho directivo, Guilherme Santos, que revelou os dados no seu terceiro conselho de representantes da ADRA realizado nesta cidade, garantiu que 60 por cento das contribuições, incluindo o Grupos África da Suécia, 13 por centos foram disponibilizados pela petrolífera americana BP, 12 pela Cooperação Espanhola através da MUSOL e 10 cada pela OXFAM NOVIB e Embaixada da Noruega representada pela ONG de desminagem Ajuda Popular da Noruega (APAN).

As outras comparticipações que permitiram apoiar directamente 10.840 pessoas e indirectamente 25.803 de 294 aldeias, de 11 comunas, de 14 municípios das províncias de Malanje, Benguela, Cunene, Huambo e Huíla foram proporcionadas pela Solidariedade Prática da Suécia, União Europeia através da Pão para o Manda da Alemanha, Unicef, Cristian Relief Service (CRS), Amaus da Suécia, ISFA, Petrobras do Brasil, Trocaire da Irlanda, USAID apresentada pela PSI, Cooperação Francesa, PNUD, FAO, Fundo Global, Open Society Angola, entre outras.

O director da Unidade de Gestão (UG) da Acção Para o Desenvolvimento Rural e Ambiente, José de Brito disse na discussão do tema sobre a situação financeira da organização que o valor necessário para o para 2012 aproxima-se ao período anterior, quantia irrisória para cumprir com as obrigações enquadradas no plano estratégico 2012 – 2016.

“Em relação ao dinheiro que queremos ao longo do ano está num total de seis milhões e 126 mil dólares norte-americanos, mas em termos de despesas ou aquilo que precisamos gastar durante o período estamos na ordem dos seis milhões e 370 mil, com um valor deficitário de 243 mil, ou seja, temos menos dinheiro do que aquilo que precisamos gastar”, esclareceu o director.

Segundo o responsável “nem sequer não sabemos se vamos conseguir dar resposta as actividades durante o ano “, advertiu o director da Unidade de Gestão da ADRA.

O décimo terceiro Conselho de Representantes da ADRA realizado no Centro de Formação do Instituto de Investigação Agronómica de Malanje decorreu sob o lema “Reafirmando o Compromisso da Promoção da Paz e do Desenvolvimento Rural em Angola”.

No evento de dois dias participaram 80 delegados das províncias de Malanje, Luanda, Benguela, Cunene, Huambo e Huíla, entre funcionários, membros, amigos, representantes de instituições do Estado, doadores e convidados.

XS
SM
MD
LG