Links de Acesso

7000 pessoas são infectadas diariamente com o vírus HIV

  • Paulo Faria

7000 pessoas são infectadas diariamente com o vírus HIV

7000 pessoas são infectadas diariamente com o vírus HIV

Um novo relatório das Nações Unidas afirma que apesar de ganhos significativos na prevenção e tratamento do HIV – o vírus que causa a SIDA – 7000 pessoas são ainda infectadas todos os dias, 1000 das quais crianças.

Um novo relatório das Nações Unidas afirma que apesar de ganhos significativos na prevenção e tratamento do HIV – o vírus que causa a SIDA – 7000 pessoas são ainda infectadas todos os dias, 1000 das quais crianças. Embora o número seja elevado, reflecte um declínio de quase 25 por cento na última década em novas infecções em todo o mundo.

O estudo, que assinala os 30 anos desde que começou a epidemia da SIDA, descreve os progressos feitos na batalha contra o vírus, mas nota que há ainda um longo caminho a percorrer para se alcançar o objectivo do “triplo zero”, isto é, zero novas infecções, zero discriminações contra aqueles que têm o vírus e zero mortes relacionadas com SIDA.

A UNAIDS calcula que aproximadamente metade das 34 milhões de pessoas que vivem com o HIV não sabe que estão infectadas. O director executivo da UNAIDS, Michel Sidibé, disse que isso é um grande problema, porque o tratamento cedo pode levar a uma vida mais longa e evitar a transmissão a outras pessoas.

“Com acesso ao tratamento, a SIDA passou do que era efectivamente uma sentença de morte para uma doença crónica”, precisou Sidibé.

Para aqueles que desconhecem o seu estado, o acesso ao tratamento esta a aumentar. O relatório sublinha que cerca de seis milhões e meio de pessoas em países de baixo e médio rendimento estavam a receber tratamento anti-retroviral no final do ano passado – perto de 22 vezes o número dos que recebiam em 2001.

O relatório das Nações Unidas diz que enquanto estão a baixar os níveis de infecção, o tratamento está a expandir-se e a educação e a consciência estão a aumentar, mas que esses ganhos poderão ser reversíveis se não houver fundos suficientes e empenhamento político.

Na próxima semana cerca de 30 presidentes e primeiros-ministros juntar-se-ão a outros líderes internacionais na sede das Nações Unidas em Nova York para fazerem um balanço dos actuais empenhamentos e elaborar o curso futuro da resposta global à SIDA.

O subsecretário-geral das Nações Unidas, Asha-Rose Migiro, disse que a reunião de alto nível vai ajudar a impulsionar a comunidade internacional em direcção ao objectivo “triplo zero”.

“Esperamos ter dado passos concretos por volta de 2015 e em 2020 termos um mundo onde o HIV e a SIDA não sejam estigmatizados, termos diminuído novas infecções, reduzido a discriminação e eliminadas as mortes relacionadas com SIDA.

O subsecretário-geral das Nações Unidas sublinhou que a comunidade internacional está determinada a mover-se mais e mais rápido em direcção à criação de um mundo livre de HIV e SIDA.

XS
SM
MD
LG