Links de Acesso

Obama e Cameron debatem economia e segurança

  • Paulo Oliveira

Obama e Cameron debatem economia e segurança

Obama e Cameron debatem economia e segurança

Presidente americano almoçou com a Rainha Isabel II e encontrou-se com o Príncipe William

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama está em Londres. Reúne-se formalmente, quarta-feira, com o primeiro-ministro David Cameron, após um banquete oficial oferecido pela Rainha Isabel II, terça-feira à noite.

O presidente norte-americano deixou Dublin mais cedo para evitar a nuvem de cinzas proveniente de um vulcão na Islândia.

Com efeito o presidente Obama chegou a Londres ao princípio da noite de segunda-feira, e por isso passou a primeira noite na residência do embaixador dos Estados Unidos. Mas a próxima noite, como estava previsto, será passada no Palácio de Buckingham - onde Barack e Michelle Obama almoçaram com a Rainha, antes de deporem um coroa de flores na abadia de Westminster.

Esta não é a primeira visita de Obama à Inglaterra, mas é a primeira visita de Estado.

O encontro com o primeiro ministro britânico David Cameron é dominado por questões económicas já que os dois estadistas se preparam para participar no final da semana, em França, na Cimeira Económica do Grupo dos Oito.

Questões de segurança estão igualmente em debate. O encarregado de negócios britânico nos Estados Unidos, Philip Barton, afirmou recentemente que Obama e Cameron vão concentrar-se nas alterações ocorridas no Médio Oriente e no norte de África.

“Vão falar da situação no Afeganistão e no Paquistão, e estou certo que irão debater a melhor forma de responder à Primavera Árabe e apoiar países como o Egipto e a Tunísia no caminho da transição”.

Para além de Cameron, o Presidente Obama vai avistar-se com o líder da oposição, Ed Miliband, e fará um discurso perante as duas Câmaras do Parlamento.

Considera-se que uma outra prioridade de Obama nesta visita será o de reforçar o relacionamento Americano-Britanico, aquilo que o antigo primeiro ministro britânico Winston Churchill denominou de “relacionamento especial”, que tem apresentado nos últimos anos alguns sinais de descuido.

Robert Gibbs, o antigo secretário de imprensa de Obama, recusou descrever o relacionamento como sendo especial, preferindo a expressão “parceria”.

Todavia o encarregado de negócios britânico, Philip Barton, sublinhou que os laços entre a Inglaterra e os Estados Unidos permanecem fortes como sempre.

“Para o Reino Unido, os Estados Unidos são o aliado mais próximo. Por isso a visita de estado é simultaneamente simbólico e de grande importância”.

Um artigo na edição desta terça feira do Times of London, assinado por Obama e Cameron, acentua que o relacionamento não é apenas especial, como essencial.

XS
SM
MD
LG