Links de Acesso

Talibãs vingam a morte de Bin Laden


Talibãs vingam a morte de Bin Laden

Talibãs vingam a morte de Bin Laden

Porta-voz dos Talibãs paquistaneses diz que o duplo atentado contra o centro de instrução paramilitar de Shabaqadar é um primeiro acto de vingança

No Paquistão a explosão de duas bombas num centro de instrução paramilitar matou pelo menos 80 pessoas e feriu um número indeterminado de pessoas, anunciaram hoje as autoridades.

As vítimas são na sua maioria recrutas que estavam de regresso à casa durante o fim-de-semana.

O grupo Talibã paquistanês já reivindicou o ataque e disse tratar-se de uma vingança a morte de líder da al-Qaida, Bin Laden.

As autoridades paquistanesas indicaram que a maioria das vítimas mortais do atentado bombista no centro de instrução paramilitar de Shabaqadar no distrito de Charsadda era novos recrutas. Dezenas de pessoas ficaram igualmente feridas.

O ataque ocorreu no momento em que os cadetes apanhavam o autocarro para irem a casa durante a dispensa do fim-de-semana.

Charsadda é uma cidade próxima das áreas tribais paquistanesas onde as forças de segurança têm sido rotineiramente alvos de ataques de grupos de milícias Talibãs.

Testemunhas disseram que os maiores estragos foram causados pela explosão da segunda bomba, que apanhou de surpresa as pessoas que afluíram para ajudar os feridos do primeiro rebentamento. Segundo ainda os presentes, as bombas continham partículas de chumbo e de pregos de forma a provocar um maior número de vitimas.

O ataque desta Sexta-feira é o maior registado no Paquistão desde a morte de Bin Laden por forças especiais americanas na semana passada.

Num comunicado de imprensa, a embaixada dos Estados Unidos em Islamabad condenou o ataque e expressou solidariedade e respeito às vítimas, sublinhando que Washington vai continuar ao lado do Paquistão na luta contra a al-Qaida e outras organizações terroristas.

Segundo o jornal The Washington Post que cita a Agencia France Press, o ataque terá sido reivindicado por Ehsanullah Ehsan, um porta-voz do grupo Talibã paquistanês. Ehsanullah que foi contacto via telefónica disse tratar-se de um primeiro acto de vingança da morte de Osama Bin Laden.

Os Talibas paquisteneses acusam o governo e as forças de segurança apoiados pelos Estados Unidos de marionetes na guerra americana contra os muçulmanos. Com o apoio de outros grupos de insurrectos esses islamistas juraram vingar a morte de Bin Laden.

Enquanto isso, o jornal The New York Times, na sua edição de hoje revela que o chefe das forças armadas do Paquistão, é pouco receptivo ao pedido dos Estados Unidos para lutar contra outros líderes terroristas.

O jornal que cita personalidades que reuniram-se há dez dias com o General Ashfaq Parvez Kayani, adianta que o mesmo não deseja abandonar completamente a aliança com os americanos. Segundo ainda a fonte do diário nova-iorquino, o mesmo é adepto da redução gradual da estratégia paquistanesa em relação aos Estados Unidos, ao mesmo tempo que defende a continuidade do beneficio decorrente de biliões de dólares dos fundos de cooperação bilateral.

Esta revelação do The New York Times, está em via de agravar a insatisfação de responsáveis americanos em relação ao Paquistão que tem sido pressionado mais do nunca pelos Estados Unidos, depois da morte de Bin Laden.

XS
SM
MD
LG