Links de Acesso

"Roupa interior" continua a ser arma de terror da Al-Qaeda

  • Eduardo Ferro

Responsável pelas operações de contra terrorismo da casa Branca, John Brennan

Responsável pelas operações de contra terrorismo da casa Branca, John Brennan

Plano para destruir avião de passageiros envolvia Al-Qaeda da Península Arábica

Entidades oficiais americanas afirmaram que descobriram uma conspiração da organização terrorista al Kaida para levar a cabo um atentado contra um avião de passageiros com destino aos Estados Unidos.

A polícia federal americana, FBI, afirmou que tinha detectado a conspiração com o apoio de polícias e serviços secretos estrangeiros.

A conspiração envolvia a utilização de um engenho explosivo numa versão melhorada do dispositivo transportado na roupa interior de um cidadão nigeriano que tentou destruir um avião americano em Detroit no Natal de 2009.

O FBI afirmou que apesar de estar a proceder a testes mais aprofundados, tudo dá a entender que se trata de um engenho semelhante aqueles que são usados pela al Kaida na península arábica.

O FBI afirma contudo que a segurança do público nunca chegou a estar ameaçada.

Um porta-voz do conselho de segurança nacional afirmou que o presidente Barack Obama tinha sido informado da conspiração em Abril passado através do seu conselheiro para assuntos de contra terrorismo John Brennan.

A mesma fonte acrescentou que apesar do presidente Obama ter sido informado de que o engenho não constituía um perigo para o público, decidiu dar ordens ao departamento da segurança interna, à polícia e aos serviços secretos para tomarem todas as medidas necessárias.

Referiu ainda que este caso vem salientar a necessidade de vigilância contra o terrorismo tanto interna como externamente.
Numa intervenção na semana passada aqui em Washington John Brennan afirmou que a al Kaida na península arábica continua muito activa e que continua a procurar oportunidades para atacar os Estados Unidos.

Os Estados Unidos aumentaram entretanto as suas operações com aviões não-tripulados no Iémen e no sábado passado um míssil americano matou o dirigente da al Kaida, Fahd al-Quso, responsável pelo ataque contra um navio da marinha de guerra americana em Aden há cerca de 12 anos atrás.

XS
SM
MD
LG