Links de Acesso

Angola: Ultimato da UNITA ao Tribunal Supremo expira 4ª feira

  • Venâncio Rodrigues

Isaías Samakuva, líder da UNITA

Isaías Samakuva, líder da UNITA

Partido da oposição quer conhecer a posição dos juízes sobre a impugnação de Suzana Inglês à frente da Comissão Eleitoral

Ultimato da UNITA ao Supremo

O presidente da UNITA deu um ultimato ao Tribunal Supremo de Angola para responder ao pedido de impugnação de Susana Inglês a frente da Comissão Nacional de Eleições.

Isaias Samakuva ameaçou organizar manifestações se, até quarta-feira, não houver uma resposta do órgão judicial.

“Até ao dia nove de Maio acaba o prazo para o TS tomar uma decisão”, afirmou Samakuva quando, este fim de semana, se dirigia aos seus militantes durante uma visita de constatação ao município de Cacuaco, em Luanda.

Samakuva, que regressou de uma digressão aos Estados Unidos e à Europa, admitiu que, se não houver resposta do Tribunal, a UNITA pode convocar uma grande manifestação contra o que considera de atropelos à Constituição.

Isaías Samakuva garantiu que apesar das actuais violacões da Lei, a UNITA esta disposta a participar do próximo escrutínio visando tirar o MPLA do poder que detem há cerca de 37 anos.

O líder do segundo partido com maior representação parlamentar, apelou aos seus correligionários a votarem em massa, nas eleições previstas para este ano, mas advertiu que o seu partido não vai tolerar, desta vez, que se cometam irregulares durante o processo de votação conforme aconteceu em 2008.

Samakuva disse que o governo não cumpriu as promessas que fez em 2008 e não fará sentido que o povo continue a acreditar em novas promessas

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG