Links de Acesso

Cabinda: Nzita Tiago pronto para negociações


"Isto não pode continuar assim" - Nzita Tiago da Flec-Fac

"Isto não pode continuar assim" - Nzita Tiago da Flec-Fac

Grupos cabindenses deveriam reunir-se antes do início de negociações para que "ninguem fique de fora" do processo

Nzita Tiago quer conversações de paz

O presidente do movimento separatista de Cabinda, Flec-Fac, Nzita Tiago apelou a negociações directas com o governo angolano.

“Nós não podemos resolver a questão de Cabinda com armas,” disse Nzita Tiago.

Interrogado sobre se a sua organização estaria pronta a fazer compromissos quanto ao seu pedido de independência total, o presidente da FLEC-FAC disse que a sua organização está pronta “a meter a questão de Cabinda na mesa (das negociações) para terminarmos com os assassinatos”.

“Não se pode continuar assim,” acrescentou.

Nzita Tiago propôs que as negociações com o governo angolano se realizem em Portugal com a participação deste país devido ao facto das organizações cabindenses considerarem Cabinda como um protectorado português ao abrigo de acordos assinados no século 19.

Nzita Tiago propôs que antes dessas negociações se organizasse uma conferência envolvendo todas as organizações cabindenses para se resolver as diferenças.

O dirigente da FLEC-FAC revelou que em contactos com o dirigente da UNITA Isaías Samakuva tinha-lhe pedido para este pedir ao presidente angolano José Eduardo dos Santos para “facilitar” uma reunião de “todos os cabindenses” incluindo aqueles que militam em partidos como o MPLA, a UNITA e outros para que “ninguém fique de fora”.

XS
SM
MD
LG