Links de Acesso

Guiné-Bissau: Comando militar à espera da CEDEAO


Militares golpistas na Guiné-Bissau depois de uma reunião com partidos políticos - 13 de Abril

Militares golpistas na Guiné-Bissau depois de uma reunião com partidos políticos - 13 de Abril

Reunião desta tarde em Bissau com a delegação da CEDEAO poderá permirtir o desanuviamento da situação politico-militar

Guiné à espera da CEDEAO

o Estado Maior General das Forças Armadas da Guiné-Bissau divulgou segunda-feira um comunicado a apelar à calma da população, porque "a situação está sob o total controlo" do Comando Militar.

O comunicado surge na sequência de o Comando ter tomado conhecimento "da situação de pânico dominante neste momento, no seio da sociedade civil guineense, decorrente, como é natural, do levantamento militar" de quinta-feira passada.

Além de apelar à população para se manter serena e calma nas suas residências, o comando diz que a formação do Governo de transição, "que vai permitir a retoma do normal funcionamento das instituições públicas, é uma questão apenas de tempo".

Uma delegação da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental - CEDEAO, liderada pelo presidente da Comissão, deste órgão regional é aguardada em Bissau para se encontrar com os militares guineenses.

A delegação, segundo um comunicado, deverá entregar uma mensagem especial dos chefes de Estado aos militares, "reiterando a posição" da instituição "de rejeição da tomada do poder" da semana passada e "insistindo na imediata restauração da ordem constitucional".

O clima social na capital guineense continua a ser de incerteza com várias pessoas a abandonarem a capital por causa da ameaça do eclodir de uma possível guerra entre os golpistas e as forças estrangeiras.

Entretanto em Bissau por causa da abertura de um número limitado de lojas e centros de comércios poderá haver brevemente uma escassez de géneros de primeira necessidade e a consequente especulação de preços. Clique abaixo, para ouvir o relato da situação na cidade, pelo nosso correspondente Lássana Cassamá.

Situação social em Bissau

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG