Links de Acesso

Autoridades de Malanje desencorajam abstenção e voto em branco

  • Isaías Soares

Malanje, centro da cidade

Malanje, centro da cidade

Responsáveis apelam à participação da juventude na sociedade angolana

A abstenção e o voto em branco nas próximas eleições gerais a serem realizadas no último trimestre deste ano em Angola não são as opções certas para o futuro da democracia no país.

A afirmação é do director provincial da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas, engenheiro João Manuel, que dissertava no final de semana sobre a importância do registo eleitoral, numa palestra dirigida a estudantes universitários dos cursos de licenciatura em ciências de Educação na Universidade Lueji A´Nkonde em Malanje.

“O voto consciente é mais do que uma forma de participação política, é um acto de poder, portanto, deixar de votar ou votar em branco é um desrespeito à cidadania, é um desrespeito à cada um de nós mesmo”, reflectiu.

A participação da juventude de forma marcante, ordeira e activa nos actos políticos que concorrem para o bem da Nação foi ressaltada pelo responsável se dirigia a uma plateia com mais de mil e 300 estudantes universitários e quadro docente da instituição académica.

“O papel da juventude na sociedade angolana é relevante e indispensável, este papel só encontrará correspondência se, de facto, a juventude encarar com elevada consciência patriótica a responsabilidade que recai sobre si”.

Os estudantes universitários questionaram o prelector a cerca das implicações que advêm para o cidadão caso não tenha efectuado o registo eleitoral, a eleição dos governadores provinciais, como manifestar o exercício do voto sem pertencer a um determinado partido políticos e sobre a lenta publicação dos programas de governo dos partidos políticos em vésperas de eleições.

As respostas convenceram os participantes do encontro, apesar de algumas escapadelas.

O coordenador dos cursos de licenciatura em ciências da educação, Jutema Hebo Quitumba afirmou que a cidade universidade é o melhor lugar para viver e os seus habitantes em Malanje têm uma missão a cumprir.

“Nós temos a responsabilidade de influenciar para a mudança, temos a responsabilidade de cuidar da nossa querida província Malanje. Quem come bem vive bem, quem não come nada não vive, comer no sentido no sentido epistemológico, hermenêutico do significado da vida”.

O evento foi uma organização da coordenação do núcleo dos cursos de licenciaturas em pedagogia e matemática da Universidade Lueji A’Nkonde em Malanje.

XS
SM
MD
LG