Links de Acesso

Senegal: Presidente eleito promete nova era para o país

  • Ann Look

Antigo primeiro-ministro e antigo presidente da Assembleia Nacional do Senegal, Macky Sall, vencedor das eleições presidenciais de 25 de Março

Antigo primeiro-ministro e antigo presidente da Assembleia Nacional do Senegal, Macky Sall, vencedor das eleições presidenciais de 25 de Março

Macky Sall um antigo delfim de Abdoulaye Wade venceu as eleições de ontem com o apoio da oposição e promete melhores dias

No Senegal prossegue a contagem dos votos da segunda-volta das eleições presidenciais com o candidato da oposição Macky Sall largamente dado como vencedor.

O presidente cessante Abdoulaye Wade que vê assim arruinada as chances de um terceiro mandato, já felicitou o seu adversário pela vitória.

De acordo com as projecções avançadas ontem Domingo, Macky Sall deverá obter entre 65 a 70 por cento dos votos.

Apoiantes do candidato eleito festejaram ainda na noite de Domingo a sua vitória nas ruas de Dacar, quando os resultados ainda não oficiais davam uma larga vantagem a Macky Sall.

A televisão estatal senegalesa noticiou que o presidente cessante Abdoulaye Wade telefonou ao seu adversário político ainda na noite de ontem para o felicitar, três horas e meia após o encerramento das urnas.

Macky Sall por sua vez acabava mais tarde de dar uma conferência de imprensa após o anúncio da sua vitória.

O presidente eleito disse que a amplitude da sua vitória demonstra a dimensão das expectativas do povo, uma expectativa que encara com muita seriedade. Para Macky Sall as eleições marcam uma nova era para o Senegal. Juntos, adiantou o eleito, o povo do Senegal vai trabalhar em prol da aguardada recuperação económica.

O presidente Abdoulaye Wade ao concorrer as eleições presidenciais, preparava-se para um controverso terceiro mandato. A popularidade de que beneficiou de há 12 anos quando pela primeira vez assumiu a presidência do país, desmoronou-se por causa de crises no sector de energia com cortes constantes de electricidade, da alta taxa de desemprego e do aumento do custo de vida. Wade de 85 anos de idade é o segundo mais velho presidente africano a seguir a Robert Mugabe do Zimbabué.

O candidato Macky Sall que é por sinal 30 anos mais novo, prometeu reduzir o preço dos produtos básicos de alimentação, descentralizar o poder e auditar as contas do governo cessante.

Antigo delfim de Wade, Macky Sall exerceu as funções de ministro das minas e mais primeiro-ministro de 2004 a 2007 e de presidente da Assembleia Nacional em 2008 antes da sua ruptura com o ainda presidente, para fundar o seu partido Aliança para a República - APR.

Nesta segunda-volta das eleições toda a oposição senegalesa aliou-se ao candidato Macky Sall e ao contrário da primeira-volta de 26 de Fevereiro marcada por violência e vários casos de morte, as eleições de ontem decorreram num clima de normalidade e calma.

Observadores eleitorais da União Africana e da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental CEDEAO disseram que as eleições foram transparentes e pacíficas.

O candidato eleito disse por sua vez que a maturidade dos eleitores senegaleses é um orgulhoso e que o maior vencedor destas eleições foi povo senegalês.

A Comissão Eleitoral deverá anunciar os resultados oficiais provisórios dentro de poucos dias.

XS
SM
MD
LG