Links de Acesso

Pobreza vai caír - Moçambique

  • William Mapote

Pobreza vai caír - Moçambique

Pobreza vai caír - Moçambique

ONGs dizem que governo deve aumentar fontes de colecta fiscal para melhor combater a pobreza

O governo prevê reduzir em 13% os actuais índices de pobreza no seio do moçambicanos até ao final do ano 2014, período em que termina o actualciclo de governação do executivo liderado por Armando Guebuza.

Esta é a meta estabelecida pela terceira versão do Plano de Acção de Redução
da Pobreza (PARP), que prevê baixar o índice da população vivendo na pobreza,
dos actuais 54.7% para 42%.

Segundo Aiuba Cuereneia, Ministro da Planificação e Desenvolvimento, o
governo orienta a intervenção do PARP em "três objectivos fundamentais", nomeadamente
o aumento da produtividade e produção agrária, a promoção do
emprego e o desenvolvimento do capital humano.

Segundo o governo, estes objectivos serão assegurados pela gestão criteriosa
ao nível macro-económico, das finanças públicas e pela boa governação.

As organizações da sociedade civil nacional aprovam as linhas de acção do novo
plano mas aconselham o governo a ser rigoroso na fiscalização a todos os
níveis e buscar novas matérias colectáveis.

"Nós achamos que o governo deve incrementar a fiscalização da execução
orçamental e de todos os plano," disse João utui, porta-voz das organizações da sociedade civil.

"Aliando a isto é necessário pesquisar novasfontes de matéria colectável, por forma a contribuir para o crescimento dasfinanças públicas, factor fundamental para a reducção da dependência externa ecrescimento económico," acrescentou.


Por sua vez, o G19, grupo de países que apoiam o Orçamento Geral do Estado e
os Programas Sectoriais, asseguraram a continuidade dos seus apoios ao país e
desafiaram o governo a fazer do PARP, uma programa que responda, efectivamente
aos desafios actuais e que promovam um crescimento inclusivo.
Ouça a reportagem do William Mapote

XS
SM
MD
LG