Links de Acesso

África: Três estratégias de desenvolvimento através da agricultura

  • Joe Capua

Apesar das ameaças naturais como o aquecimento climático, as cheias e pragas, o potencial agrícola africano é ainda aub-aprvoveitado por causa de escassez de recursos, tecnologias e mãos-de-obra especializada (Foto de arquivo)

Apesar das ameaças naturais como o aquecimento climático, as cheias e pragas, o potencial agrícola africano é ainda aub-aprvoveitado por causa de escassez de recursos, tecnologias e mãos-de-obra especializada (Foto de arquivo)

Especialistas agrícolas europeus afirmam que a agricultura é a base de económico global sustentado de que a África deve tirar proveito

Um novo relatório indica que a agricultura africana pode contribuir para o crescimento económico global sustentado.

Contudo o documento adianta que deve haver antes de tudo grandes investimentos ao nível das plantações, mercados e das condições sociais.

O Painel de Montpellier organizado por especialistas europeus em agricultura, está a apelar para o “crescimento sustentado” em África.

Gordon Conway professor de desenvolvimento internacional na Imperial College of London, é presidente dessa comissão.

“Se olhar para os países africanos actualmente, verá que muitos deles têm um óptimo crescimento. A média da taxa de crescimento de toda a África é de cerca de 6 por cento. Mas existem muitos onde há um rápido crescimento. E a componente chave desse crescimento é o desenvolvimento da agricultura. Portanto isso é tudo muito bom.”

Por outro lado o professor Gordon Conway diz que existem ameaças a esse desenvolvimento.

“Existem algumas doenças e pestes que destroem culturas durante a noite em África. Existem todo um conjunto de problemas criados pelo aquecimento global. Existem situações como a seca ou a subida de temperaturas e com certeza outros ainda mais extremos como as cheias ou ondas de calor. Tudo isso significa que o crescimento em si só não será suficiente.”

A Comissão de Montpellier recomenda por isso uma estratégia baseada em três pontos: um mercado sustentado, agricultura igualmente sustentada e formação de quadros.

“O que África deve perceber é o potencial do crescimento sustentado. A sustentabilidade como capacidade de enfrentar com êxito todos os tipos de ameaças. E nós defendemos igualmente que esta sustentabilidade deve ser construída com algo que venha do exterior. Portanto o futuro depende realmente em ter estas duas componentes juntas, o crescimento e a sustentabilidade.”

O presidente da Comissão de Montpellier Gordon Conway afirma que mercados sustentáveis reduzem a volatilidade dos preços, atrai mais investidores e encoraja maior produtividade ao nível de pequenos agricultores. Adianta ainda que agricultura sustentável requer parcerias envolvendo governos, o sector privado e as ONGs para reduzir a degradação das terras e fontes hídricas, bem como assegurar a melhoria de técnicas agrícolas adaptáveis as variações climáticas.

Quanto aos recursos humanos sustentáveis, Gordon Conway considera que são aqueles que são capazes de garantir a obtenção regular de rendimentos, nutrição adequada e boa saúde, perante situações de stress e de dificuldades socioeconómicas.

XS
SM
MD
LG