Links de Acesso

Está a ser construída uma segunda central elétrica em Cambambe

  • Isaías Soares

Noventa mini-hídricas vão ser reabilitadas

O Ministério angolano da Energia e Águas projecta para médio e longo prazo o melhoramento da produção, transporte e distribuição da energia eléctrica ao país.

Em construção está a segunda central da barragem hidroelétrica de Cambambe, cujo contrato para selecção de uma empresa para fiscalizar o curso das obras foi aprovado recentemente pelo Conselho de Ministros.

O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, reafirmou em Malanje que a capacidade a ser instalada no referido empreendimento vai superar a produzida pela barragem de Capanda, 520 megawatts.

“No quadro dos esforços que o executivo tem estado a fazer, visando reforçar a capacidade de produção de energia eléctrica no país está a ser construída uma segunda central em Cambambe, onde vão ser instalados 700 MW de capacidade. Comparar esta central de Capanda que tem 520, Cambambe vai ter 700 à nova central e, esse contrato que foi aprovado visa contratar o fiscal para essa obra, estando já à empreitada a decorrer normalmente”.

A barragem de Capanda nesta neste momento a cumprir um programa de manutenção da sua estrutura e do equipamento, para segurar o seu funcionamento por ser a responsável pela produção de energia eléctrica para as provincias de Malanje, Luanda e Uíge.

Noventa mini-hídricas serão reabilitadas e construídas em alguns municípios do país para a satisfação das necessidades económicas e de electricidade das comunidades rurais, a exemplo dos rápidos do rio Kwanza, município de Cangandala em Malanje.

Os cortes no fornecimento de energia eléctrica a cidade de Malanje são constantes e o titular da pasta anunciou para breve a solução do problema, que passa pela substituição dos transformadores das subestações de Malanje e Capopa.

“Nós vamos instalar cerca de 80 MW que dará ‘grosso modo’ para 18 a 20 mil casas, queremos que será suficiente para atender as necessidades de Malanje nos próximos tempos”.

Para as subestações de Viana e Cazenga, em Luanda o Conselho de Ministro aprovou projectos conducentes a melhorar a produção de corrente eléctrica para a capital, que “têm como objectivo reforçar a capacidade de transformação dessas duas importantes subestações”.

Toda a energia que chega de Capanda e Cambambe transita por Viana, o Cazenga é provavelmente em Luanda a subestação que tem concentrada a maior capacidade, para atender a cidade.

São subestações que já têm um tempo de vida significativo, e, neste momento o equipamento de manobra e protecção necessita de ser substituído, tem havido algumas avarias que vão interrupções”.

O objectivo principal dos dois projectos é a garantia da fiabilidade na exploração das referidas instalações, passando pela substituição dos equipamentos obsoletos e melhorar os sistemas de protecção para uniformizar a distribuição do produto para Luanda.

XS
SM
MD
LG