Links de Acesso

Malanje: Só há 30 enfermeiros para as 400 aldeias de Calandula

  • Isaías Soares

Um aspecto da cidade de Malanje

Um aspecto da cidade de Malanje

Município poderá recrutar 25 enfermeiros, com carácter de urgência, sem concurso público

A assistência médica e medicamentosa para as populações das cerca de 400 aldeias do município de Calandula, a 85 quilómetros a norte de Malanje, é dificultada pelo número irrisório de 30 enfermeiros.

Para minorar o deficit de centenas de enfermeiros e outros especialistas, a Administração Municipal da circunscrição das quedas de Calandula, poderá recrutar até 25 enfermeiros, usando a prerrogativa de contratação de pessoal a tempo certo, antes da realização de qualquer concurso público.

O administrador da localidade, Manuel Campos disse que a necessidade é urgente para satisfazer a cobertura dos postos já existentes, que se juntarão aos que serão inaugurados nas comunas de Cateco – Cangola e Kinge.

A proposta está em estudo e dependerá em grande medida da cota a ser disponibilizada pelo Ministério da Administração do Território, depois de ser homologado pelo governador de Malanje.

O candidato, sem qualquer vínculo na função pública que aceite a seguir a um teste na escola técnica de enfermagem de Malanje vai auferir salários, a priori, provenientes do fundo da Administração Municipal de Calandula.

As infra-estruturas sanitárias foram construídas e aguardam pelos correspondentes apetrechamentos.

“Nós temos um hospital que está em condições muito difíceis, que está degradado. Temos mais de 17 postos de saúde, porque no ano passado inauguramos 3 novos postos e neste momento estão concluídos centros modernos no Kinge e outro centro na comuna do Cateco – Cangola, que brevemente serão apetrechados e postos a disposição da população. Continuamos a envidar esforços para a recuperação da casa para os médicos e a casa do director do hospital para que possamos os médicos cubanos, que já se encontram na cidade de Malanje e prontos a virem aqui para participarem na assistência médica e medicamentosa às populações. O nosso Hospital Municipal está em curso discussões a nível do empreiteiro e do dono da obra, no caso, vertente Ministério do Planeamento para que as obras do Hospital de Calandula já estão quase no fim”.

O Hospital Municipal de Calandula, a cargo da empreiteira Lena Maconang, pode ser concluído este ano, numa altura em que a região não possui sequer um médico, apesar de ser semanalmente visitada por milhares de turistas nacionais e estrangeiros.

XS
SM
MD
LG