Links de Acesso

Guiné-Bissau é ainda "plataforma" de contrabando de drogas - ONU


cocaína

cocaína

Relatório avisa sobre poder económico dos traficantes na corrupção das autoridades na África ocidental

O tráfico de drogas em grande escala através da África Ocidental voltou recentemente aumentar depois de registar uma queda em 2008 e 2009 em relação ao ponto alto de 2007, revela um relatório da Organização Internacional para o Controlo de Drogas das Nações Unidas.
O documento afirma que a Guiné-Bissau continua a ser uma das duas principais plataformas de transbordo de drogas da América latina com destino á Europa acrescentando que em 2010 voltaram a registar-se na região “várias” apreensões em grande escala de cocaína.
Duas áreas chave de transbordo existem em África, diz o documento. Uma na Guiné-Conackry e na Guiné-Bissau e outra na Baía do Benim.
Um grave perigo que a cocaína representa é “o seu grande valor em relação ao tamanho das económicas locais,” diz o documento que acrescenta que “os traficantes têm recursos para subornar funcionários que protegem as suas operações”.
O documento faz notar no entanto que os países da região têm estado a entabular medidas para combater esse tráfico e menciona a chamada Iniciativa de Dakar como exemplo disso. O objectivo dessa iniciativa é criar uma rede trans-saariana para fazer face á crescente ameaça do tráfico de cocaína. Tanto a Guiné-Bissau como Cabo Verde já participam nessa iniciativa.
O documento sublinha também a reunião de alto nível entre representantes de países da África ocidental, incluindo a Guiné-Bissau e Cabo Verde com representantes da Colômbia Republica Dominicana e peru o ano passado.
O relatório diz que um programa para controlo de contentores transportados por via marítima já está a operar no Senegal e Gana e deverá ser estendido a Cabo verde “num próximo futuro”.
Unidades conjuntas para combater o tráfico de drogas vão também ser estabelecidas em Cabo Verde e noutros países da região, diz o documento.

XS
SM
MD
LG