Links de Acesso

UNITA tenta recuperar eleitorado na Huíla

  • Teodoro Albano

UNITA tenta recuperar eleitorado na Huíla

UNITA tenta recuperar eleitorado na Huíla

A UNITA promoveu no fim-de-semana no leste da província da Huíla uma série de acções de mobilização.

A UNITA promoveu no fim-de-semana no leste da província da Huíla uma série de acções de mobilização.Objectivo: manter o partido preparado para tentar recuperar os deputados perdidos pelo círculo da Huíla nas eleições de 2008.
A UNITA promoveu aquilo que designou "jornadas patrióticas de mobilização"para preparar o partido para os desafios imediatos.
Munir os quadros de ferramentas que lhes permita a nível das comunas e municípios para fazer o trabalho de mobilização dentro da estratégia do partido juntou responsáveis do galo negro na circunscrição da Matala.
Amélia Judite, secretária da UNITA na Huíla, disse que as mesmas jornadas se enquadram também na celebração do quadragésimo quinto aniversário da fundação da UNITA a assinalar-se a 3 de Março, um partido que segundo ela, continua a defender os ideais da liberdade e terra: “Naquela altura a necessidade foi da liberdade e terra independentemente de outros ideais mas ainda nós hoje na UNITA sentimos esta necessidade de liberdade e terra .Por exemplo é pela terra que todos se sacrificaram é pela terra que ainda todas as classes quer seja política, religião ou mesmo ainda classes ideológicas… temos de tomar a consciência porque sem terra não há cultivo sem terra não há pasto sem terra seremos sempre inquilinos nas nossas próprias casas sem terra não há repouso mesmo depois de mortos.”
Aquela responsável da UNITA na região da Huíla fala da necessidade de mudança de consciência dos angolanos.
As mudanças até aqui operadas no país revelam poucos progressos nos vários domínios, palavras de Amélia Judite: “O nosso país hoje não progrediu em nada, 35 anos de governação e não há água potável para todos os cidadãos, não há saúde para todos os angolanos, não há educação para todos os angolanos e como mais agravante não há liberdade na própria terra que nos viu nascer porque em Angola, hoje, ninguém pode se expressar de forma diferente daqueles que se acham os representantes legítimos dos angolanos.”
As jornadas patrióticas de mobilização da UNITA juntaram quadros do galo negro dos municípios de Matala, Chicomba, Quipungo, Kuvango, Jamba e Chipindo.

XS
SM
MD
LG